Os Vikings foram os primeiros a descobrir a América. E não é lorota. Desculpa, Colombo.

Descobertas provam que Vikings chegaram antes de Colombo

Em Ciência por Rodrigo ZottisComentário

Os Vikings são conhe­ci­dos ao longo da his­tó­ria por suas carac­te­rís­ti­cas úni­cas e habi­li­da­des marí­ti­mas. Eram cons­tru­to­res navais, mes­tres marí­ti­mos, guer­rei­ros, comer­ci­an­tes e inva­so­res. Os Vikings cri­a­ram suas pri­mei­ras for­jas na Escan­di­ná­via, come­çando por volta do século 8 D.C. a saquear regiões atra­vés da Ásia, do Ori­ente Médio, África do Norte e a Europa. Eles inves­tiam par­ti­cu­lar­mente sobre as Ilhas Bri­tâ­ni­cas, a Islân­dia e a Gro­ne­lân­dia. Sua pre­sença foi imor­ta­li­zada devido às nar­ra­ti­vas orais trans­mi­ti­das por mon­ges islan­de­ses do século 13.

Os nór­di­cos inva­di­ram e con­quis­ta­ram vas­tos ter­ri­tó­rios, como o Norte da Escan­di­ná­via e a Europa Cen­tral. E seu alcance se esten­deu para muito mais longe, às vezes che­gando à beira do Medi­ter­râ­neo e ao Norte da África. Mas até hoje se acre­di­tava que não fize­ram mai­o­res avan­ços.

vikings américa

Porém uma nova des­co­berta pode mudar tudo isso.

Já havia indí­cios de que os vikings pode­riam ter che­gado até o Canadá a par­tir da Gro­en­lân­dia, mas ainda fal­tava ele­men­tos que pudes­sem con­fir­mar a sus­peita. Na década de 1960, pes­qui­sa­do­res des­co­bri­ram um local em L’Anse aux Mea­dows, no norte da Terra Nova, ilha e pro­vín­cia cana­dense, que parece ter evi­dên­cias de ati­vi­dade Viking.

Mas ainda era incerto se os nór­di­cos real­mente se esta­be­le­ce­ram na região ou ape­nas cru­za­ram o local bre­ve­mente. A difi­cul­dade de res­pon­der a essas ques­tões encon­tra-se nos obje­tos que os vikings dei­xa­vam para trás. Seus bar­cos, edi­fí­cios e uten­sí­lios domés­ti­cos foram todos fei­tos de mate­rial orgâ­nico, e todas as pai­sa­gens cos­tei­ras expos­tas care­cem de evi­dên­cia de assen­ta­men­tos.

Mas recen­te­mente novas pes­qui­sas con­fir­ma­ram a teo­ria que por anos não pas­sou de espe­cu­la­ção. Apro­xi­ma­da­mente em 645 quilô­me­tros da região foram encon­tra­dos os pri­mei­ros ves­tí­gios e ana­li­sa­dos via saté­lite. Os arqueó­lo­gos acre­di­tam ter des­co­berto outra região Viking na ponta sul da Terra Nova. Se con­fir­mado, será uma prova con­creta de que os vikings, e não Cris­tó­vão Colombo, foram os pri­mei­ros euro­peus a pisar e colo­ni­zar o con­ti­nente norte-ame­ri­cano cerca de 1.000 anos atrás.

A arqueó­loga Sarah Par­cak — famosa por usar ima­gens de saté­lite em infra­ver­me­lho e aná­lise quí­mica para inves­ti­gar um ter­reno e iden­ti­fi­car sinais indi­ca­do­res da ati­vi­dade humana que são invi­sí­veis aos olhos, tal como mudan­ças quí­mi­cas no solo -, depois de encon­trar locais anti­gos ante­ri­or­mente des­co­nhe­ci­dos no Egito e Roma, vol­tou sua aten­ção para supos­tos assen­ta­men­tos nór­di­cos na Amé­rica do Norte.

Par­tindo do prin­cí­pio de ana­li­sar os mapas e deter­mi­nar onde seria um bom local para ins­ti­tuir a aldeia, Sarah então olhou para as ima­gens de saté­lite. Ao fazer isso, sua aten­ção foi atraída para Point Rosee, uma outra ilha cana­dense, que pare­cia mos­trar que algo tinha mudado a com­po­si­ção quí­mica do solo. Isso levou sua equipe até o local para  esca­va­ções. O que eles des­co­bri­ram pode­ria alte­rar a his­tó­ria dos Vikings.

Sob a super­fí­cie da região esca­vada, pedras e pilhas de car­vão ene­gre­ci­das suge­riam a exis­tên­cia de uma lareira, e den­tro des­sas suposta lareira foram encon­tra­dos resquí­cios de ferro cozido. Isto é indi­ca­tivo de fun­di­ção, uma téc­nica que nenhuma outra cul­tura de nenhuma civi­li­za­ção da época ame­ri­cana uti­li­zava no momento, apro­xi­ma­da­mente um milê­nio atrás.

vikings américa

Uma região ana­li­sada por Sarah H. Par­cak via saté­lite, indi­cando um suposto local de ati­vi­dade Viking.

Os cien­tis­tas tam­bém des­co­bri­ram o que pare­cem ser pare­des de relva, tais como as obser­va­das em assen­ta­men­tos Viking conhe­ci­dos em outras par­tes do Atlân­tico Norte. Se esses resul­ta­dos forem con­fir­ma­dos ao longo da rea­li­za­ção de mais tes­tes e esca­va­ções, seria uma des­co­berta incrí­vel.


Seja patrono do AZ para mais arti­gos como este.
CLIQUE AQUI e esco­lha sua recom­pensa.


Newsletter AZ | sabedoria budista


Você pode que­rer ler tam­bém:

Um outro sen­tido para a mito­lo­gia
A antiga ali­ança entre huma­nos e cachor­ros

Rodrigo Zottis
Rapaz que só faz o que faz pois espera que um dia seu legado possa ser completamente auto-explicativo.

Compartilhe