Selo da Raposa: Melhor do AZ em setembro/2014

Em Sobre o AZ por Pierre ReynardComentário

Ale­luia, irmãos! Nesse período em que polí­ti­cos dis­pu­tam a aten­ção e apoio de seg­men­tos reli­gi­o­sos da popu­la­ção, dei­xem que eu con­clame meus fieis para o tão aguar­dado momento do mês, quando os meus che­fes no Ano Zero me encar­re­gam de sele­ci­o­nar os melho­res arti­gos do mês. E setem­bro foi um mês cheio de emo­ções!

Vamos lá! Na ordem de publi­ca­ção:


04/09 — Cinco dicas para entender a meditação

meditacao

A meditação não torna você “alguém melhor”, a meditação amplia e aprofunda quem você verdadeiramente é neste exato momento, mas não percebe.

Como setem­bro foi repleto dis­pu­tas elei­to­rais e inten­sas emo­ções, nada melhor do que come­çar o mês com um bom exer­cí­cio de rela­xa­mento. Nesse artigo, o meu car­rasco chefe Vic­tor Lis­boa explica de uma forma sim­ples e ilus­tra­tiva como a medi­ta­ção budista fun­ci­ona e quais seus bene­fí­cios.


12/09 — Homofobia e crimes de ódio: o que revelam sobre nós?

homofobia

Onde ainda se xinga as pessoas com orientação sexual específica, como se fosse demérito, certamente haverá quem mata, asfixia e mutila alguém por ser gay.

Diante de dois cri­mes estú­pi­dos que ocor­re­ram em curto inter­valo de tempo, ambos resul­tan­tes homo­fo­bia, todos fica­mos exas­pe­ra­dos. Com um nó na gar­ganta, éra­mos inca­pa­zes de falar. Eli Vieira falou por todos nós, que não admi­tem o triunfo da bar­bá­rie e into­le­rân­cia ao custo de vidas huma­nas.


15/09 — De quem as Forças Armadas são amigas?

forcasarmadas

Braço forte, mão amiga. Pode confiar”, diz o lema do exército brasileiro. Amiga de quem?

Na sua estreia, Fabio Pinto não per­mite que fuja­mos daque­las per­gun­tas incô­mo­das que tal­vez pre­fe­rís­se­mos igno­rar. As For­ças Arma­das bra­si­lei­ras são um dra­gão ador­me­cido pela can­tiga de ninar da Lei da Anis­tia, mas de sono leve e pres­tes a acor­dar quando a Comis­são da Ver­dade começa a fazer muito baru­lho no cômodo ao lado?


18/09 — José Mujica: Real ou Personagem?

mujica

Mujica pode ser um personagem político arquitetado por uma equipe para fornecer um produto atraente a um nicho eleitoral, ou pode ser autenticamente tudo aquilo mesmo. O mais provável é que seja um pouco de ambos.

Em um mês cheio de ques­ti­o­na­men­tos, Dou­glas Donin não foge de uma aná­lise sóbria e obje­tiva sobre o fenô­meno Mujica. Sem gla­mou­ri­za­ções des­ne­ces­sá­rias ou cri­ti­cis­mos pre­con­cei­tu­o­sos, Dou­glas Donin tenta ana­li­sar a per­sona pública do atual Pre­si­dente do Uru­guai e per­gunta: se ama­mos tanto Mujica, por­que então seu equi­va­lente naci­o­nal, o can­di­dato do PV a Pre­si­dên­cia Edu­ardo Jorge, teve vota­ção tão inex­pres­siva?



20/09 — A vida selvagem como você nunca viu

vidaselvagem

Mas os humanos não são minha espécie de animal predileto. Antes de vocês, na minha lista de preferência há 8.699 milhões de tipos de animais diferentes.

E final­mente che­gou aquele momento do mês que todos espe­ra­vam! Um artigo de minha auto­ria mos­trando ima­gens ins­ti­gan­tes, pro­por­ci­o­nando pers­pec­ti­vas inqui­e­tan­tes e dei­xando todos os lei­to­res hip­no­ti­za­dos! Con­fesso que achei esse meu artigo um pouco subes­ti­mado, sem ter rece­bido a aten­ção que mere­cia. Nada mais justo, por­tanto, que ser nova­mente divul­gado e rece­ber o Selo da Raposa!


30/09 — Não se mexe em cu de macho!

cudemacho

Para os caras machos, o próprio cu é um lugar intocável. O dos outros, até tudo bem.

Encer­rando um mês cheio de dúvi­das, Tales Gubes encerra setem­bro final­mente apre­sen­tando no título de seu artigo uma cer­teza — ou não? Com can­di­dato a pre­si­dên­cia modi­fi­cando pro­grama par­ti­dá­rio para agra­dar pas­to­res evan­gé­li­cos homo­fó­bi­cos, nada mais justo e cor­reto que um segundo texto falando do assunto em Ano Zero!


Pierre Reynard
Pierre Reynard, um raposo francês radicado no Brasil, é o estagiário do Ano Zero encarregado das publicações divertidas, gerenciar nossa newsletter e também de nos fazer o café. Além disso, é o culpado por todo e qualquer erro pelo qual possamos ser responsabilizados social ou juridicamente.

Compartilhe