Um em cada quatro de nós travará uma batalha com uma doença mental em algum momento de nossas vidas. Só nesta última semana, um em cada seis adultos tiveram um problema de saúde mental.

Mas apesar da sua prevalência inacreditavelmente generalizada, doenças mentais são ainda rodeadas por equívocos e estigma.

Hoje, pode ser hora de mudar isso.

10 de outubro é o Dia Mundial da Saúde Mental, conforme a Organização Mundial da Saúde. Espera-se com isso lidar com a quantidade de desinformação e desafiar os equívocos que impedem que muitas pessoas falem sobre este problema generalizado.

A cada ano há um tema diferente, e neste ano o assunto é “Primeiros Socorros Psicológicos“.

Um dos equívocos mais comuns e sem dúvida mais frustrantes, é que a doença mental seja de alguma forma uma escolha ou falta de força de vontade.

O quadrinista Robot Hugs transformou o caso em ótimos quadrinhos chamados “Conselhos Úteis”, em que se imagina a noção absurda de dar conselhos como os dados a pessoas com doenças mentais, só que a pessoas com problemas físicos.

Isso não quer dizer que dar conselhos não é útil – longe disso. Mas você não diz para alguém com um braço quebrado “basta se esforçar mais pra ajeitar isso”, ou a alguém com pressão arterial elevada “tomar medicamentos todos os dias não é muito natural.”

Conselhos úteis (helpful advice), arte de Robot Hugs, traduzida para português.
“Helpful Advice”, de Robot Hugs

O fato é que doenças mentais não são seletivas quando se trata de quem afetam – se é você, um ente querido, um amigo, um familiar, um colega, medalhistas olímpicos, líderes mundiais, grandes pensadores, atores, modelos ou músicos.

O estereótipo de alguém que sofre de doença mental pode ser uma pessoa que se tornou um recluso social e encontra-se na cama todo o dia, mas nos últimos anos têm-se visto um aumento da “depressão de alta funcionalidade” ou “alta ansiedade”.

Estas são pessoas que, superficialmente, parecem felizes, bem sucedidas e muitas vezes estar todas indo bem, mas na verdade estão sofrendo de problemas de saúde mental. É ainda mais comum que isso não seja detectado, nem declarado ou resolvido.

Então, o que você pode fazer como indivíduo? A comunicação muda as percepções, e isso é fundamental.

Se você ou alguém que você conhece está sofrendo de problemas de saúde mental, existem muitos lugares onde você pode ir para tentar ajudar a aliviar o problema, seja simplesmente conversando com alguém, visitando seu médico ou buscando ajuda através de um punhado de instituições de caridade, inclusive mesmo por aplicativos de celular.

Você também pode simplesmente participar na campanha, compartilhando informações nas redes sociais e utilizando a hashtag no Twitter #DiaMundialDaSaúdeMental.

Neste dia mundial da saúde mental, precisamos combater o estigma. - Por Pictoline
Neste dia mundial da saúde mental, precisamos combater o estigma. – Por Pictoline

Abaixo, conheça as doenças mentais mais comuns:

Doenças mentais G1
Mais informações no site G1

escrito por:

Equipe Ano Zero

Perfil para publicação de artigos esporádicos e com temas diversos. Esteja por dentro das atualizações do portal Ano Zero, siga-nos nas nossas redes sociais e assine a nossa newsletter para receber nossos e-mails feitos com todo carinho e cuidado.


JUNTE-SE À NOSSA NEWSLETTER
Junte-se a outros 2.000 visitantes que recebem nossa newsletter e garanta, semanalmente, artigos sobre ciência, filosofia, comportamento e sociedade diretamente em seu e-mail!
Nós odiamos spam. Seu e-mail não será vendido ou compartilhado com mais ninguém.