Capa do artigo "Presidente da República merece pedrada", de Nelson Moraes. Publicação: Ano Zero. Na imagem, Temer troca olhares com Dilma.

Presidente da República merece pedrada

Em Comportamento, Consciência, Política, Sociedade por Nelson MoraesComentário

Pre­si­dente é vidraça, sem­pre – inde­pen­dente de par­tido, ide­o­lo­gia, raça, gênero e, last but not least, corte de cabelo. O Poder Exe­cu­tivo deve ser sem­pre o alvo pri­mor­dial da crí­tica e da sátira, inde­pen­dente se ele está acer­tando ou errando. Por­que um dos mai­o­res peri­gos que uma civi­li­za­ção demo­crá­tica corre é assistir a seu poder máximo usu­fruindo de blin­da­gem, é vê-lo pou­pado de ques­ti­o­na­men­tos, é tes­te­mu­nhar sua unção como figura pública pre­ser­vada do escár­nio. Por­que este é o pri­meiro passo para esta­be­le­cer a mais hedi­onda das ins­ti­tui­ções polí­ti­cas moder­nas: o culto à per­so­na­li­dade.

Crí­tica” aqui não se refere à opo­si­ção par­la­men­tar, que já o faz via pro­to­colo cons­ti­tu­ci­o­nal. Crí­tica aqui é aquela for­ma­tada pelo humor, e vinda dos meios de expres­são legí­ti­mos da cole­ti­vi­dade. Aris­tó­fa­nes, que cinco sécu­los antes de Cristo já lan­çava os fun­da­men­tos da crí­tica ao poder polí­tico, dizia que qual­quer humor que não seja do con­tra já o é a favor e, por tabela, bene­fi­cia o poder cons­ti­tuído. E poder cons­ti­tuído que não possa ser fus­ti­gado, zoado pela soci­e­dade, é poder imposto. É arbi­trá­rio. É anti­de­mo­crá­tico. É seita. É reli­gião.

Por­tanto, bem-vindo, Michel Temer, à con­di­ção de vidraça. Seu pri­meiro ato ao assu­mir a pre­si­dên­cia será o de reves­tir-se da con­di­ção de alvo de escu­lham­ba­ção, por­que é assim que uma soci­e­dade sadia fun­ci­ona. Você, na pre­si­dên­cia, será alvo de petar­dos de quem até ontem diri­gia afa­gos à pre­si­dên­cia. Mas tam­bém será alvo de petar­dos de quem muito antes de hoje já vinha dis­pa­rando petar­dos na pre­si­dên­cia, e era cha­mado de gol­pista. É do jogo.

Por­tanto, aguenta, Temer. Vamos cui­dar pra que você seja bom­bar­de­ado como nunca foi, em seus tem­pos de cáte­dra ou de par­la­mento. E se antes des­ses 180 dias por algum revés pro­ces­sual Dilma retor­nar, a gente pros­se­gue com as pedra­das, sem pro­blema.

Só muda­re­mos o ende­reço do des­ti­na­tá­rio.


Seja patrono do AZ para mais arti­gos como este.
CLIQUE AQUI e esco­lha sua recom­pensa.


Newsletter AZ | sabedoria budista


Você pode que­rer ler tam­bém:

O “isen­tão” e a mania de tirar o governo da reta
O golpe midiá­tico con­tra Dilma é real?

Nelson Moraes
Almirante de quatro costados (todos eles disponíveis para uso publicitário), é especialista em pescar pérolas e distribuí-las sem dar crédito às ostras.

Compartilhe