Vamos jogar um jogo.

Você se inscreve para uma nova rede social. Você segue 5 perfis diferentes. Cada perfil é uma pessoa ou organização em que você confia, publicando coisas que possivelmente lhe interessarão. Alguns deles são pessoas normais com um incrível bom gosto, recomendando links de toda a web; e outros são organizações de mídias profissionais publicando seu próprio material.

Olá! Nós somos 5 perfis que você segue em sua rede social.
Olá! Nós somos 5 perfis que você segue em sua rede social.

Vamos chamar todos eles de 5 editores (na era da mídia social, todo mundo é um editor!). Digamos que cada um deles empurra duas coisas por dia em seu feed.

10 coisas legais em seu feed.
10 coisas legais em sua linha do tempo.

Você tem 10 coisas para olhar a cada dia, produzidas ou recomendadas por pessoas em quem confia. E porque você escolheu quem seguir, são 10 coisas personalizadas para você. Cada editor (novamente, pessoa ou organização) tem 20% de sua atenção. Caramba. As redes sociais são demais.

Só que um editor empreendedor decide, num dia qualquer, expandir sua produção. Então ele começa a empurrar 4 coisas por dia em seu feed.

Seu feed está ficando maior!
Sua linha do tempo está ficando maior!

Ei, agora há 12 coisas para você ver! E esse editor empreendedor agora tem 30% de sua atenção. Isso é um aumento de 50% para ele em um dia! Ele está empolgado.

Não é algo necessariamente tão bom para os outros 4 editores, no entanto. Eles perderam um pouco de sua atenção; 2 de 12 os coloca para baixo, com 16,7% cada. Então mais um deles decide agir, correspondendo ao primeiro editor, e começa a empurrar 4 coisas também por dia.

Seu feed com 14 atualizações para você conferir.
Seu feed com 14 atualizações para você conferir.

Ok! Interessante. Seu feed está agora com 14 coisas nele a cada dia. Dois editores têm um pouco mais de sua atenção do que antes, em detrimento dos outros três.

Um desses três vê o que está acontecendo. Ele levantará uma batelada de dinheiro de investidores e, em vez de alcançar os dois primeiros editores com 4 coisas por dia, ele quadruplicará a sua produção, passando de 2 a 8.

Uau, há 20 atualizações em seu feed.
Uau, há 20 atualizações em seu feed.

Seu feed dobrou de tamanho! Uau. O que começou com 10 coisas a partir de 5 editores em quem você confia, se transformou em 20 coisas concorrendo entre si pela sua atenção, empurrando mais e mais conteúdo em seu feed.

Um dos editores tem sido capaz de duplicar parte de sua atenção, de 20% (2 de 10) a 40% (8 de 20). Dois outros têm sido capazes de manter a sua atenção de 20% original, mas apenas dobrando sua produção. E dois outros editores perderam metade da atenção que tinham por continuarem a publicar as 2 coisas por dia.

O processo se repete.

Mas isso é muita coisa.
Mas isso é muita coisa.

Puta merda! São 44 coisas no seu feed a cada dia. É demais. Demais!

E não é só que seja demais. Aqueles editores, com sua batelada de dinheiro de investidores, triplica a sua produção, constituindo agora mais da metade do seu feed (24 de 44). Os outros estão sendo abafados. Sua linha do tempo está ficando mais homogênea: apenas uma perspectiva, durante metade do tempo.

E enquanto alguns dos editores, por algum tempo, foram capazes de expandir a sua produção sem sacrificar a qualidade, muitos deles, na maior parte do tempo, não o fizeram. Na verdade, os editores mais experientes perceberam que a forma mais barata de produzir mais é replicando o trabalho dos outros. Portanto, a qualidade média das coisas em seu feed está piorando.

Mais coisas. Um feed mais homogêneo. Um conteúdo pouco menos incrível.

Mas não se preocupe! Em algum momento, a rede social que você está usando percebeu, nos dados de seu sistema, que você estava chateado. Como ela mantém o controle do que você clicou no passado e o que você comentou, decidiu usar isso para destacar algumas coisas da pilha para você.

Esta é a parte dos algoritmos.
Esta é a parte dos algoritmos.

Bem melhor! Aqueles 5 são muito bons. Certamente melhor do que tentar descobrir através de todos os 44.

Claro, agora os editores com dinheiro (que, por sinal, têm mais agora, pois veja como foram bem sucedidos antes!) querem entender o que fez algumas publicações se destacarem e o resto ficar na pilha. Eles gastaram um monte de tempo e um monte de dinheiro para descobrir isso, de modo que mais e mais de suas coisas possam aparecer no topo. Assim, eles voltam à sua posição dominante.

Esta é a parte sobre a
Esta é a parte sobre a “otimização”.

A ordenação de seu feed está um pouco menos inchada, mas também um pouco menos humana. Tanto ela quanto o seu feed completo estão cada vez mais homogêneos, e tudo está ficando cada vez menos interessante.


Esta é uma parábola. Não é o único conjunto de mecanismos funcionando internet afora. É óbvio que é uma simplificação. Há contracorrentes e nuances, com certeza.

Mas todos nós já vimos isso em nossos feeds ao longo dos últimos anos. As mais experientes empresas de mídia digital estão em uma corrida armamentista (esta contagem de 2013, mesmo antes de os dois primeiros expandirem dramaticamente, colocou Business Insider em 300, BuzzFeed em 373 e The Huffington Post em 1.200 atualizações publicadas por dia). E o “Desenvolvimento de Audiência” (essencialmente: Strategic Sorting Learner) tornou-se um dos trabalhos mais quentes na mídia.

E, o que é pior, ao mesmo tempo em que isso vem acontecendo, alguns dos meios de comunicação fora de nossos feeds estão ficando cada vez melhores: mais belos, mais ambiciosos, mais diversificados e mais acessíveis. Há mais barulho, com certeza, mas nunca houve tanta boa cultura para ser acessada com apenas um clique. Nossos feeds nas redes sociais, portanto, não estão apenas se degradando aos poucos, em relação ao que eram. Estão nos desligando de algo ainda mais poderoso que está emergindo fora deles na internet.

E qual a solução?

Há redes sociais alternativas, como a This. Como outros sites, você segue editores (pessoas e organizações!) em quem confia, partilha de coisas que recomendam e/ou fizeram. Mas cada membro é limitado ao compartilhamento de apenas um link por dia. Esse limite de 1 link não apenas para esta corrida armamentista antes de seu início. Ele torna cada compartilhamento de cada usuário em algo ainda mais valioso: uma declaração de paixão. Quando os editores da sua confiança fazem a sua escolha, eles estão dizendo: “Isto é o que vale o seu tempo hoje.”

E assim o seu feed – repleto das melhores coisas de acordo com as pessoas em quem você confia – apenas parece com isso:

1 coisa por dia de pessoas que você confia. Perfeito.
1 coisa por dia de pessoas que você confia. Perfeito.

Por que deveria ser mais complicado do que isso?


Artigo originalmente publicado no Medium.


Nota do editor: Assim como o autor demonstra preocupação quanto ao conteúdo disseminado e consumido na internet, trazemos esta tradução como uma forma de demonstrar aos nossos leitores que esta também é uma preocupação nossa. Afinal, acreditamos que a internet deve ser usufruída de forma consciente e proveitosa, por isso todo o material que publicamos passa por uma séria avaliação, sendo que priorizamos a qualidade em detrimento da quantidade. Conheça o restante de nossos artigos clicando aqui.

escrito por:

Andrew Golis

Fundador e CEO em This.cm.


JUNTE-SE À NOSSA NEWSLETTER
Junte-se a outros 2.000 visitantes que recebem nossa newsletter e garanta, semanalmente, artigos sobre ciência, filosofia, comportamento e sociedade diretamente em seu e-mail!
Nós odiamos spam. Seu e-mail não será vendido ou compartilhado com mais ninguém.