Você precisa traçar um plano | Jon Westenberg

Fazer coisas aleatórias não funciona: você precisa de um plano

Em Comportamento, Série Produtividade por Jon WestenbergComentário

Esta manhã, me des­pedi de uma star­tup. Fui con­se­lheiro nos últi­mos seis meses, e aju­dava com gran­des deci­sões e lhes dava dire­ção. Infe­liz­mente, che­ga­mos a um ponto em que eu já não que­ria estar envol­vido com uma equipe que não con­se­guia fazer e seguir um plano.

O ponto de dis­cór­dia?

Eles não que­riam escre­ver um plano de mar­ke­ting. Nós tínha­mos dis­cu­tido sobre isso por cerca de 6 meses.

Como con­se­lheiro, eu tinha ten­tado levá-los a se con­cen­trar no desen­vol­vi­mento de negó­cios e de mar­ke­ting de um modo geral, com estra­té­gia cla­ra­mente defi­nida.

Eu que­ria defi­nir metas para aqui­si­ções de usuá­rios, cober­tura de imprensa, con­teúdo de comer­ci­a­li­za­ção e mar­ke­ting de pro­je­tos para­le­los.

Eu que­ria essas metas aci­o­ná­veis, e eu que­ria pla­nos cla­ros, pra­zos e eta­pas para serem alcan­ça­dos.

A star­tup expan­diu-se rapi­da­mente, estava com­pro­me­tida com o cres­ci­mento, mas foram per­dendo ter­reno por­que não esta­vam tra­zendo bas­tan­tes negó­cios.

Seu app não estava rece­bendo novos usuá­rios.

Ten­ta­mos várias vezes criar um plano de mar­ke­ting e de desen­vol­vi­mento estra­té­gico, mas a cada vez o CEO e COO se desin­te­res­sa­vam, com a repe­tida decla­ra­ção de que eles já tinham um plano e esta­vam tra­ba­lhando sem per­der tempo em sua for­ma­li­za­ção.

Mas eles não tinham um plano.

Eles tinham algu­mas noções vagas e con­cei­tos em torno do que faria as pes­soas pres­ta­rem aten­ção neles, e isso era o quanto eles esta­vam pre­o­cu­pa­dos que fosse todo o mar­ke­ting de que pre­ci­sa­vam.

Alguns des­ses con­cei­tos foram muito bem. Até mesmo vaga­mente os cha­ma­ria de táti­cas. Eles esta­vam fazendo algu­mas apa­ri­ções em even­tos, tra­ba­lhando com uma rede pes­soal, fazendo envio de paco­tes de infor­ma­ção e assim por diante.

Mas nenhuma des­sas táti­cas estava fun­ci­o­nando, e nenhuma delas tinha fun­ci­o­nado desde que me dis­pus a ajudá-los.

Por­que eram só um monte de ações ale­a­tó­rias, com nenhum acom­pa­nha­mento com­pleto, sem obje­tivo final e nenhuma pes­quisa.

O neces­sá­rio mar­ke­ting e desen­vol­vi­mento estra­té­gico eram tudo o mais que eles qui­ses­sem fazer a qual­quer momento.

Ati­rado no meu sofá e me sen­tindo doente como um cão, recebi uma cha­mada rai­vosa do CEO, per­gun­tando por que meu foco era ainda em mar­ke­ting.

E essa foi sua tática usual quando per­ce­beu que as coi­sas não esta­vam indo bem.

E então per­cebi que eu não con­se­guia mais com­ba­ter a cega igno­rân­cia.

A falta de uma estra­té­gia em sua comer­ci­a­li­za­ção foi sin­to­má­tica para um pro­blema maior. Não tinham foco o sufi­ci­ente em qual­quer de suas áreas-chave, desde o design ao desen­vol­vi­mento.

Não importa o quanto sejam empur­ra­dos para criar um plano, sem­pre parece dar muito tra­ba­lho.

[optin­form]


Você precisa de um plano

Eu quero fazer disso um estudo de caso.

Se você quer con­se­guir alguma coisa com seu pró­prio pro­jeto ou negó­cio, você pre­cisa ter um plano.

Você não pode cor­rer ao redor da pró­pria cauda e fazer por­ca­rias ale­a­tó­rias que só pare­cem ou soam bem. Isto acon­tece com star­tups, artis­tas, autô­no­mos — todos.

Você pre­cisa defi­nir um plano.

O plano não pre­cisa ser com­pli­cado. Pode ser incri­vel­mente sim­ples.

Mas as coi­sas pre­ci­sam estar no lugar para que você não gaste suas sema­nas pre­ci­sando ajei­tar tudo, sem ir em dire­ção a algo maior.

Você pre­cisa ter um plano, por­que você deve estar tra­ba­lhando para um obje­tivo final tan­gí­vel, que você possa defi­nir e saber se você teve êxito ou falhou.

Dessa forma, você será capaz de con­ti­nu­a­mente ava­liar e se cer­ti­fi­car de que você está ajus­tando o que pre­cisa ser ajus­tado, con­ser­tando o que não está fun­ci­o­nando.

Sem um obje­tivo final, você pro­va­vel­mente irá per­se­ve­rar ape­nas por onde já deve­ria ter ultra­pas­sado, des­per­di­çando recur­sos vali­o­sos e tempo.

E isso é uma maneira de aca­bar num mer­gu­lho total, seguindo no cami­nho errado para o des­tino errado.

No meu caso, foi tudo sobre o mar­ke­ting. Os fun­da­do­res não tinham ideia de que o que esta­vam fazendo não estava fun­ci­o­nando.

Seu viés de con­fir­ma­ção lhes disse que o negó­cio que estava che­gando dava um sinal claro de mar­ke­ting e desen­vol­vi­mento estra­té­gico bem-suce­di­dos.

Sem qual­quer obje­tivo final sobre o qual tra­ba­lhar, além de uma vaga ideia sobre como atrair mais cli­en­tes, eles não podiam medir o tama­nho de seu sucesso.

Você pre­cisa ter um plano, por­que defi­nir perío­dos de tempo é cru­cial.

Sem um período de tempo, você pode per­der uma quan­ti­dade cada vez maior de tempo per­se­guindo as tare­fas e opor­tu­ni­da­des sem pau­sar para ava­liar.

Você fica­ria sur­preso quão rapi­da­mente uma hora se trans­forma em três. Um dia em três dias. Três dias em uma semana. Não há limite, se você não defi­nir um.

Com um plano em mente, você pode defi­nir limi­tes para tra­ba­lhar e para atin­gir os obje­ti­vos já esbo­ça­dos, por perío­dos de tempo defi­ni­dos para ava­liar esses obje­ti­vos.

Sem um plano, você nunca vai enten­der onde você está em rela­ção aos seus obje­ti­vos.

Não sei o que será dessa star­tup. Eu acho que eles vão falhar, se eles não pude­rem se virar e come­çar a cons­truir as coi­sas em dire­ção a um obje­tivo maior.

É decep­ci­o­nante, por­que eles têm uma visão, eu estava feliz de che­gar junto e eles real­mente se pre­o­cu­pam com seus negó­cios.

Infe­liz­mente, isso só não é sufi­ci­ente. Pai­xão não é sufi­ci­ente. Emo­ção e fé não são sufi­ci­en­tes.

Você pre­cisa ser capaz de ver onde você está indo e saber como che­gar lá.


Conheça o Patreon do AZ e finan­cie o nosso plano de espa­lhar con­teúdo de qua­li­dade pela inter­net. Cli­que aqui.


Você pode que­rer ler tam­bém:

8 méto­dos para aumen­tar sua pro­du­ti­vi­dade que nunca te con­ta­ram
4 razões por que é tão difí­cil ser um fina­li­za­dor

Jon Westenberg
Apaixonado pela escrita, criatividade, negócios e tecnologia. É o fundador da Creatomic, uma agência de serviços criativos. Nela, trabalha com startups, empresas, publicações e criativos para atingir o público e se comunicar.

Compartilhe