Leonhard Euler nasceu na Suíça em 1707, e tornou-se um dos mais produtivos e influentes matemáticos de todos tempos. Porém, surpreendentemente, pouco se fala sobre o seu legado. Para corrigir essa injustiça, Ronald Calinger’s escreveu uma bibliografia sobre Euler.

E qual a razão de se considerar o silêncio sobre Euler uma injustiça?

Bom, foi Sir Isacc Newton que apresentou o cálculo moderno a uma nova geração no século XVIII, mas foi Euler que estabeleceu o cálculo como princípio básico da matemática e da ciência. Euler também levou adiante outro aspecto do legado de Newton, mostrando que as teorias do movimento e da gravitação poderiam ser usadas para obter resultados muito precisos do movimento da Lua e de outros fenômenos planetários.

Além disso, ele realizou avanços em uma gama surpreendente de assuntos, abrangendo desde os mais simples até os mais complexos, de uma forma que seria impossível para qualquer matemático de hoje. Suas publicações eram sobre a física, astronomia, acústica, balística, artilharia, cartografia, navegação, construção naval, óptica e a teoria da música, bem como teoria dos números e os fundamentos do cálculo.

O legado de Euler foi notável, e ele possuía uma grande motivação, além de uma memória excepcional. Por exemplo, o matemático conseguia recitar todo o texto de “Eneida”, de Virgílio, de cabeça, além de sua produtividade ser igualmente surpreendente. Durante sua carreira escreveu mais de 850 publicações, incluindo 18 livros. Seus trabalhos foram publicados em formatos de 80 grandes volumes, que se tornaram disponíveis a partir de 1910 (alguns volumes estão na pendência de serem publicados).

A carreira de Euler se desenvolveu na Europa ocidental. Mas aos 19 anos ele fez uma viagem de sete semanas para a Rússia para assumir um cargo na Academia Imperial de São Petersburgo de Ciências, que o imperador, Pedro, o Grande, tinha como prioridade como parte de seu plano para modernizar a Rússia.

Além de seu interesse em ciência teórica, Euler se envolveu intensamente em outros assuntos, tais como a construção de mapas precisos do Império Russo e estudos sobre inundações, incêndios e construção naval. Mas ele também perseguia seus próprios interesses, levando adiante seus estudos sobre a série infinita dos números e a forma da Terra.

Leonhard Euler
Selo da União Soviética em comemoração ao 250° aniversário de Euler. O texto diz: 250 anos do nascimento do grande matemático, o acadêmico Leonhard Euler.

Um avanço notável aconteceu em 1735, quando Euler anunciou sua solução para o famoso Problema de Basileia. O desafio matemático envolvia a soma da série infinita 1 + 1/4 + 1/9 + 1/16 + …, cuja solução final permaneceu uma incógnita para todos os matemáticos por quase um século (a resposta, caso queira saber, é pi²/6).

problema de basileia
O Problema de Basileia

Em São Petersburgo, Euler se casou e teve 13 filhos (incrível, mas no meio de todos os seus estudos ele também arranjou tempo para isso), mas apenas cinco conseguiram passar da infância. Euler começou a sofrer fortes dores de cabeça, e sua visão se deteriorou de forma constante. Perdeu a visão de um olho em seus primeiros 30 anos, e estava quase cego pela idade de 60 anos.

Em 1741, Euler foi contratado em Berlim, por Frederico, o Grande, que desejava construir um nova Academia Real Prussiana, povoada pelos craques da ciência e da filosofia da época. Euler tinha a esperança de liderar o projeto, mas acabou não se encaixando. Sua reputação científica era inegável, mas ele não possuía as maneiras refinadas nem a inteligência social tão apreciadas pela corte de Frederico. Escrevendo para Voltaire, Frederico satirizou a deficiência de Euler o chamando de “o grande ciclope da geometria”.

Como as relações com Frederico azedaram, Euler decidiu se mudar novamente. Em 1766, Catarina, a Grande (era uma época de “Grandes”, você pode perceber) havia o contratado de volta para São Petersburgo. Apesar de quase cego, Euler tornou-se a figura principal na academia russa, publicando mais de 400 artigos, um importante trabalho de três volumes sobre o movimento lunar e “Cartas a uma princesa alemã” – uma das primeiras e mais bem sucedidas tentativas de popularização da ciência para a público em geral.

Leonhard Euler homenagem
Selo da antiga República Democrática Alemã homenageando Euler no 200º aniversário de sua morte. Centralizada, a fórmula do poliedro (relação de Euler), atualmente escrita como v – a + f = 2.

A biografia de Calinger sobre Euler é um trabalho muito impressionante sobre a vida do cientista. É longa, mas mostra sua fascinante vida, sua obra e o mundo ao seu redor. Para o leitor que procura mais, uma enorme variedade de escritos de Euler pode ser encontrada online no Arquivo Euler (porém, sem tradução para o português).

Pierre-Simon Laplace, outro matemático do século 18, teria dito: “Leia Euler, leia Euler, pois ele é o mestre de todos nós.”


Leia mais biografias em Ano Zero:

O pai esquecido da evolução
Quem é Sir David Attenborough e por que Obama o entrevistou?

escrito por:

Rodrigo Zottis

Rapaz que só faz o que faz pois espera que um dia seu legado possa ser completamente auto-explicativo.