Uma coisa é você colocar na cadeia doleiros, empresários, políticos dos principais partidos e até mesmo donos de construtoras. Outra coisa bem diferente é quando a brincadeira ameaça chegar ao sistema financeiro.

O impeachment não conseguiu o que Jucá queria, o “grande acordo nacional com o Supremo, com tudo”, aquele acordo que “protege o Lula, protege todo mundo”. Com a substituição de uma tecnocrata inepta e desastrada por um plutocrata de bastidores mais experiente e com trânsito na classe política, eles até que tentaram, mas não conseguiram parar a Lava Jato.

No entanto, isso não quer dizer que Jucá não estivesse certo. O imortal Jucá estava certo de novo: de uma forma ou de outra, ia sair o “grande acordo nacional” que “protege o Lula, protege todo mundo”. O impeachment era apenas uma pequena e ineficaz estratégia. Outras se seguiram.

E a peça-chave acabou sendo mesmo a ameaça da língua de Palocci, o homem do petismo nos bancos. Aqueles que acham que a grande cisão política brasileira se dá entre golpistas e golpeados observam os fatos sem conseguir entendê-los: como assim, Gilmar Mendes, o golpista, o homem do PSDB no STF, articulando a liberação de José Dirceu da cadeia?

Se a principal cisão fosse entre petistas e tucanos, entre golpistas e golpeados, esse fato permaneceria inexplicável. Os tolos que gritaram “golpe” e, para isso, foram obrigados a dizer que a Lava Jato e o Supremo eram parte dele viram sua teoria ruir mais uma vez, com o próprio Supremo iniciando o enterro da Lava Jato.

Como gostam de dizer os gringos, follow the money. É impossível, evidentemente, que dezenas ou centenas de bilhões de reais do patrimônio público tenham sido movidos ilegalmente sem a participação do sistema bancário. Ninguém no Brasil sabe essa história melhor que Palocci.

Mais uma vez, o Código de Processo Penal não importa, as regras para prisão preventiva não importam, nada da dogmática jurídica importa em absoluto. Sinto muito, juristas, o Direito não importa nem nunca importou. Só importam a porrada política e a relação de forças.

Dirceu foi solto para que a língua de Palocci continue presa. E, para isso, golpistas e golpeados continuam juntinhos, como sempre estiveram.

Idelber Avelar
Leciono literatura,escrevo ensaios. Editei o Biscoito Fino http://idelberavelar.com . Torcedor do Galo e membro do MPII (Minorias com Projetos Ideológicos Irreais)
  • Dantes Laconne

    hahaha eu racho os bicos de quem toma algum partido para defender, são todos ratazanas do mesmo bueiro, até agora lembro daquela emblemática foto de quando o impeachment foi votado no senado, com lula, dilma, aécio, levandowisk e se não me engano renan calheiros, todos juntinhos conversando e rindo da nossa cara(mas é claro, disfarçadamente rsrs)