Sr. Jean Wyllys,

Vossa Excelência errou ao cuspir em Jair Bolsonaro. Deixou claro, com esse ato, não estar a altura de seu cargo. Certo, concordo que os seus colegas também não estão. Mas nivelar por baixo é imperdoável, e com esse gesto o seu mandato foi amesquinhado.

No fundo, talvez Vossa Excelência tenha apenas tirado a sua máscara e revelado sua verdadeira face: a de um mero vencedor de Big Brother, um deslumbrado ex-global que usa um vernáculo ligeiramente sofisticado. Eu, pelo menos, sempre vou suspeitar do equilíbrio emocional de alguém que aceita participar desse tipo de pantomima midiática da Globo.

Mas isso não é nada. Tem algo pior. Ao cuspir em Bolsonaro, Vossa Excelência fez exatamente aquilo que esse paspalho esperava. O senhor colocou nos holofotes uma personalidade pública que clama por atenção.

Graças ao cuspe, Bolsonaro conseguiu ser manchete justo no dia em que todas as manchetes deveriam ser apenas sobre a admissão do impeachment da Dilma pela Câmara. Isso é que é roubar protagonismo.

Mais ainda: os eleitores desse sujeito, lá do fundo do esgoto da inteligência brasileira, certamente aprovaram qualquer comentário que Bolsonaro possa ter feito para merecer o cuspe. Portanto, ele ganhou dividendos eleitorais com o circo que vocês armaram. O senhor apenas perdeu.

É desagradável dizer, mas com o cuspe no Bolsonaro, o senhor também cuspiu em seu cargo.

jean

Sr. Jair Bolsonaro,

O deputado Jean Wyllys errou em cuspir em Vossa Excelência. Porém, se cuspir num deputado ofende o decoro parlamentar, então homenagear um torturador da ditadura é estuprar esse mesmo decoro reiteradas vezes.

Na verdade, falando em estupro, a sua existência na política brasileira é um escarro constante nos valores republicanos, humanistas e democráticos. Sua defesa dos homicídios perpetrados pela ditadura, sua apologia ao estupro e sua intolerância machista têm a viscosidade de um cuspe que nenhuma democracia deveria aceitar que escorresse em sua cara.

Em um Congresso que não fosse esse desfile de paspalhos que assistimos no domingo, o senhor já teria sido expulso por quebra de decoro parlamentar há muito tempo.

Reconheço que Jean talvez tenha se revelado, com o cuspe, aquilo que sempre foi: um mero vencedor de Big Brother sem controle emocional. Mas o senhor, o senhor já faz tempo se revelou uma coisa muito pior. É quase um criminoso e, com toda certeza, um fascista completo. Sequer é um fascista inteligente, sequer é alguém esperto e ardiloso, só um idiota que descobriu, no nicho do discurso reacionário, um caminho para o poder. Esse cúmulo de estupidez e intolerância ofende a um só tempo a inteligência e a dignidade humana.

O deputado federal Jean Wyllys não podia ter cuspido em Vossa Excelência, mas não por sua causa, e sim em respeito aos elevados valores que um legislador deve representar na República.

Ele não podia cuspir. Mas o povo brasileiro pode. E aqui vai a minha parte:

bosonaro


Seja patrono do AZ para mais artigos como este.
CLIQUE AQUI e escolha sua recompensa.


Newsletter AZ | sabedoria budista


Você pode querer ler também:

Precisamos admirar o Cunha
O golpe midiático contra Dilma é real?

escrito por:

Victor Lisboa

JUNTE-SE À NOSSA NEWSLETTER
Junte-se a outros 2.000 visitantes que recebem nossa newsletter e garanta, semanalmente, artigos sobre ciência, filosofia, comportamento e sociedade diretamente em seu e-mail!
Nós odiamos spam. Seu e-mail não será vendido ou compartilhado com mais ninguém.