Platão e Atenas. O primeiro pensou a moralidade, a segunda aplicou a justiça. | As fundações da moral.

As fundações da moral

Em Política por GEDbioéticaComentário

Por que a moral varia tanto entre cul­tu­ras e ainda assim apre­senta diver­sas seme­lhan­ças e temas recor­ren­tes?

Para ten­tar res­pon­der a essa per­gunta, foi ela­bo­rada, pelo psi­có­logo social Jonathan Haidt e cola­bo­ra­do­res, a Teo­ria das Fun­da­ções Morais.

 

A Teoria das Fundações Morais

A teo­ria pro­põe que vários sis­te­mas psi­co­ló­gi­cos ina­tos for­mam os fun­da­men­tos da “ética intui­tiva”. Cada cul­tura, então, cons­trói suas vir­tu­des, nar­ra­ti­vas e ins­ti­tui­ções sobre deter­mi­na­das fun­da­ções, cri­ando assim mora­li­da­des úni­cas, que vemos em todo o mundo.

Haidt, então, pro­põe cinco fun­da­ções, as quais as soci­e­da­des usa­riam de base para a cons­tru­ção da moral:

Pro­te­ção / Injú­ria: Esta fun­da­ção está rela­ci­o­nada à nossa longa evo­lu­ção como mamí­fe­ros e a capa­ci­dade de sen­tir, ou não, empa­tia pelos outros. É a base das vir­tu­des da bon­dade, gen­ti­leza e amparo.

Equi­dade / Tra­paça: Esta segunda fun­da­ção está rela­ci­o­nada ao pro­cesso evo­lu­tivo do altruísmo recí­proco, e gera ideias de jus­tiça, direi­tos e auto­no­mia.

Leal­dade / Trai­ção: A nossa longa his­tó­ria como cri­a­tu­ras tri­bais capa­zes de for­mar coa­li­zões mutá­veis rela­ci­ona-se à fun­da­ção da leal­dade / trai­ção. Essa é a base das vir­tu­des do patri­o­tismo e sacri­fí­cio a favor do grupo. É ativo nos momen­tos em que as pes­soas sen­tem que é “um por todos e todos por um”.

Auto­ri­dade / Sub­ver­são: Esta fun­da­ção foi mol­dada pela nossa longa his­tó­ria pri­mata de inte­ra­ções soci­ais hie­rár­qui­cas, con­fi­gu­rando-se como a base das vir­tu­des da lide­rança e segui­do­res, incluindo defe­rên­cia à auto­ri­dade legí­tima e res­peito às tra­di­ções.

San­ti­dade / Degra­da­ção: Por fim, esta fun­da­ção foi mol­dada pela psi­co­lo­gia da repug­nân­cia e con­ta­mi­na­ção e cons­ti­tui-se na base das noções reli­gi­o­sas de que o ser humano se esforça para viver de uma forma ele­vada, menos car­nal, mais nobre. Ela está sub­ja­cente à ideia gene­ra­li­zada de que o corpo é um tem­plo que pode ser pro­fa­nado por ati­vi­da­des e con­ta­mi­nan­tes imo­rais. Essa ideia não é exclu­siva às tra­di­ções reli­gi­o­sas.

O vídeo abaixo dá uma visão geral da Teo­ria das Fun­da­ções Morais e como pode ser apli­cada no con­texto polí­tico:

Link Youtube

A Teo­ria das Fun­da­ções Morais é uma exten­são da teo­ria de Richard Shwe­der sobre as “três éti­cas”. Segundo Shwe­der, a moral é divi­dida em três gran­des cla­dos, sendo eles a Ética da Auto­no­mia, Comu­ni­dade e da Divin­dade.

 

Shweder e a Moral

A Ética da Auto­no­mia baseia-se na ideia de que as pes­soas são, em pri­meiro lugar, indi­ví­duos autô­no­mos com dese­jos, neces­si­da­des e pre­fe­rên­cias.

As pes­soas devem ser livres para satis­fa­zer esses dese­jos, neces­si­da­des e pre­fe­rên­cias como enten­de­rem, e assim as soci­e­da­des desen­vol­vem con­cei­tos morais, como os direi­tos, liber­dade e jus­tiça, que per­mi­tem que as pes­soas coe­xis­tam paci­fi­ca­mente, sem inter­fe­rir demais nos pro­je­tos uns dos outros.

Esta é a ética domi­nante nas soci­e­da­des indi­vi­du­a­lis­tas.

É pos­sí­vel encon­trar essa forma de ética nos escri­tos de uti­li­ta­ris­tas, como John Stu­art Mill e Peter Sin­ger, os quais valo­ri­zam a jus­tiça e os direi­tos ape­nas na medida em que elas aumen­tam o bem-estar humano, e tam­bém nos escri­tos de deon­to­lo­gis­tas como Kant e Kohl­berg, que pre­zam pela jus­tiça e direi­tos, mesmo nos casos em que poderá resul­tar na redu­ção do bem-estar geral.

A Ética da Comu­ni­dade baseia-se na ideia de que as pes­soas são, em pri­meiro lugar, os mem­bros de enti­da­des supe­ri­o­res, tais como famí­lias, equi­pes, exér­ci­tos, empre­sas, tri­bos e nações.

Estas enti­da­des supe­ri­o­res são mais do que a soma das pes­soas que as com­põem; elas são reais, elas são impor­tan­tes e devem ser pro­te­gi­das. As pes­soas têm a obri­ga­ção de desem­pe­nhar as suas fun­ções atri­buí­das nes­tas enti­da­des.

Por­tanto, mui­tas soci­e­da­des desen­vol­vem con­cei­tos morais como dever, hie­rar­quia, res­peito, repu­ta­ção e patri­o­tismo.

Em tais soci­e­da­des, a insis­tên­cia de que as pes­soas devem pro­je­tar suas pró­prias vidas e per­se­guir seus pró­prios obje­ti­vos parece egoísta e peri­gosa, uma maneira pela qual enfra­que­cem o tecido social e des­troem as ins­ti­tui­ções e pes­soas cole­ti­vas sobre as quais todos depen­dem.

A Ética da Divin­dade baseia-se na ideia de que as pes­soas são, em pri­meiro lugar, os vasos tem­po­rá­rios den­tro do qual uma alma divina fora implan­tada.

As pes­soas não são ape­nas ani­mais com uma por­ção extra de cons­ci­ên­cia; elas são filhas de Deus e devem se com­por­tar de acordo. O corpo é um tem­plo, não um play­ground. Mesmo que isso não cause mal ou viole os direi­tos de alguém, quando um homem tem rela­ções sexu­ais com uma car­caça de frango, ele ainda não deve fazê-lo por­que o degrada, desonra seu Cri­a­dor, e viola a ordem sagrada do uni­verso”.

Por­tanto, mui­tas soci­e­da­des desen­vol­vem con­cei­tos morais como a san­ti­dade e o pecado, a pureza e a polui­ção, ele­va­ção e degra­da­ção. Em tais soci­e­da­des, a liber­dade pes­soal das nações oci­den­tais parece liber­ti­na­gem, hedo­nismo e uma cele­bra­ção dos ins­tin­tos mais bási­cos da huma­ni­dade.

Tendo em vista as teo­rias de Haidt e Shwe­der, quais os pila­res morais da nossa soci­e­dade? O Bra­sil, em toda sua plu­ra­li­dade, baseia-se nes­sas fun­da­ções pro­pos­tas?


Gos­tou? Então nos ajude a man­ter a pro­du­ti­vi­dade. Conheça o Patreon do AZ.
CLIQUE AQUI e esco­lha sua recom­pensa.


Newsletter AZ | sabedoria budista


Veja mais arti­gos do GED­Bi­oé­tica, cli­que aqui.


Referências

  • HAIDT, J. The Righ­te­ous Mind: Why Good Peo­ple Are Divi­ded by Poli­tics and Reli­gion. [S.l.]: Vin­tage Books, 2013. p. 115 – 118.
  • YOURMORALS.ORG. Moral Foun­da­ti­ons. MoralFoundations.org, 2016. Dis­po­ní­vel em: <http://moralfoundations.org/>. Acesso em: 15 Agosto 2016.
GEDbioética
Fundado em 2012 na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, o GEDbioética tem como objetivo criar um ambiente favorável ao debate multi e interdisciplinar, disseminando a bioética de forma interativa. Além disso, criar um vínculo com a sociedade, a qual é essencial para a construção do conhecimento.

Compartilhe