As pessoas mais atraentes do mundo são as finalizadoras. As pessoas que finalizam projetos, concluem pensamentos, executam planos, desenvolvem ideias inteiramente, tocam a última nota, terminam lutas e fecham capítulos. Elas fazem essas coisas apesar das feiúras e imperfeições pois elas sabem que esse é o ponto de partida para a grandiosidade.

Elas são tão raras.

Pense no outro lado da moeda. Por exemplo, o cara que pega um violão e toca alguns acordes de sua música favorita e, em seguida, para tudo e diz: “Eu não aprendi a coisa toda.” Ou quando você encontra um artigo fascinante na internet que promete falar sobre cinco partes de uma série, mas apenas duas foram escritas.

As pessoas se sentem atraídas pelos finalizadores porque eles são diferentes. Eles usam sua imaginação e habilidades para presentear o mundo com suas criações.

Algumas décadas atrás, você criava coisas porque você estava entediado. Hoje, por você ter tantas coisas para se entreter, a criação tornou-se uma resposta esquecida para o seu tédio.

capafinisher-650x300

Não é culpa da tecnologia. É a inércia e a pressão social. A tecnologia tem nos dado tanto novas maneiras de nos entreter quanto novas maneiras de criar e compartilhar. A maioria de nós está apenas escolhendo a primeira.

Com que frequência você costuma ler posts sobre maratonas de seriados, ao invés de aprender a pintar ou escrever uma história?

Como sociedade, nós apenas valorizamos o sex appeal. Nós não nos importamos com o processo, nós só queremos o resultado final.

Grande parte de sofrimento desnecessário é causado pela falta de atividade criativa na vida de alguém.
jasonzook

Os seres humanos nascem criadores. O mundo inteiro de uma criança é um processo lúdico e criativo. É um meio de expressão e auto-descoberta. Crianças consideram a criação como um comportamento normal – porque é.

Mas, em algum momento da vida, nós olhamos para os adultos e perguntamos: “Ei, por que você não está construindo ou criando alguma coisa?” Uma resposta honesta à pergunta é uma acusação grave para a nossa sociedade. A resposta geralmente é: “Bem, porque eu não sou muito bom.” Ou “Eu estou preocupado com o que as outras pessoas vão pensar.”

A sociedade destrói a imaginação e a criação das crianças por conta do nosso próprio medo e insegurança de não nos enquadrarmos. O que poderia ser se mantivéssemos a mentalidade de criação como sendo um hobby, uma diversão?

Não estou dizendo que é fácil. É difícil criar algo novo e original. Isso exige pensamento, criatividade, inspiração, determinação e um monte de trabalho!

Há quatro razões pelas quais a criação de algo novo é tão difícil. Se você se tornar ciente delas, será um pouco menos frustrante na próxima vez que você tentar. Eu as descobri durante os últimos dois anos de auto-exploração em empreendedorismo, música, arte e escrita.

1 – Musculatura criativa enfraquecida

O processo criativo é como se exercitar. É um grupo de músculos mentais que precisam ser trabalhados a fim de melhorar e ficarem mais fortes.

Se você vai fazer exercícios na barra fixa, levar seu queixo apenas metade do caminho até o nível da barra não vai desenvolver seus músculos. A única maneira de se aprimorar é fazer o caminho completo repetidas vezes.

Assim que você começa a explorar seus talentos e a descobrir o que você deseja criar, isso pode ser assustador porque é um território desconhecido. Felizmente, não há maneira certa ou errada, tudo é apenas sobre a criação de coisas que você gosta.

2 – Conheça o seu inimigo: a dúvida sobre si mesmo

Há um ciclo que afeta criadores. É algo como isto:

ciclo criativo

Quando essa centelha de inspiração surge e você tem o esboço de um grande trabalho que brilha em sua mente, é fácil começar a trabalhar. Escrever um esboço e planejar o processo criativo é fácil, porque a ideia ainda está viva em sua mente. Puxá-la de sua mente para manifestá-la no mundo físico é a parte mais difícil.

Cada projeto tem uma bifurcação no meio do caminho. A bifurcação é a dúvida sobre si mesmo e fazer questões como “Isso vale a pena?” e “Será que alguém se importa que fiz isso?”

É necessário lutar contra esses pensamentos tóxicos e lembrar-se que isso pode não ser agradável, mas você precisa continuar para que você possa aprender e melhorar.

3 – Comparando-se aos outros

Pense na primeira vez em que você praticou algum esporte, a primeira vez em que você tocou algum instrumento, ou a primeira vez em que falou com uma paixão. Você provavelmente foi sugado por isso. Em relação aos outros marinheiros de primeira viagem, você pode ter sido bom, mas em comparação com aqueles de vasta experiência, houve uma diferença significativa.

bob esponja

Isso é da natureza humana, mas você tem que lutar contra esse desejo. Quando você é novato em qualquer coisa, você só deve se comparar consigo mesmo.

Você ouve um músico clássico mundial, você lê um poeta laureado, você usa um premiado software ou assiste a um atleta profissional e pensa: “Uau, eles fazem parecer tão fácil.” Acredite ou não, em algum momento de sua vida, eles também eram novatos. O que os fez grandes são as incontáveis horas de falhar e tentar novamente, até que eles obtivessem os resultados que queriam.

Para viver uma vida única em que você apenas segue sua própria estrela, você só pode se comparar ao seu dia anterior de trabalho.

4 – Tornando-se um finalizador

Há uma distribuição paretal que afeta o processo criativo. Os primeiros 80% do trabalho são fáceis em comparação aos últimos 20%.

trabalho tempoO polimento, edição e finalização de todo o projeto serão frustrantes, porque é muitas vezes um processo de subtração em vez de adição.

Então, ao invés de pensar que você está quase terminando quando a maior parte do artigo foi escrito, aprenda a esperar a parte mais difícil ao final. Ela é a parte mais importante do processo.

Você não sabe a alegria e a satisfação que vem de concluir o processo até que você o faça pelo menos uma vez.

Da próxima vez que você tiver essa centelha de inspiração, eu o encorajo a levar a sério e tentar criar algo com ela. Lembre-se que os seres humanos são criadores de nascença. Flexione os músculos mentais e, com o tempo, eles tornarão um pouco mais fácil de concluir esses projetos.

Estamos construindo uma comunidade de Finalizadores na Exosphere. Nós encorajamos você a terminar o que começou, mesmo que esteja ficando feio e distante da perfeição – e garanto que será nas primeiras vezes. Torne-se um finalizador e crie algo novo. O mundo está esperando.

Boas coisas estão por vir,

Luke


(Tradução do artigo original, publicado no Medium, com autorização do autor.)

escrito por:

Luke Blackburn

JUNTE-SE À NOSSA NEWSLETTER
Junte-se a outros 2.000 visitantes que recebem nossa newsletter e garanta, semanalmente, artigos sobre ciência, filosofia, comportamento e sociedade diretamente em seu e-mail!
Nós odiamos spam. Seu e-mail não será vendido ou compartilhado com mais ninguém.