A esquerda tem imposto, de forma autoritária e arrogante, coisas como local de fala, protagonismo e espaços seguros. Usando academês pra mostrar pro povo como “votar de forma consciente” num mundo no qual diferenças culturais resultam em mortes de civis inocentes, a economia vai mal ou poderia estar melhor, homossexualidade ainda é motivo de expulsar os filhos de casa, a maior parte das mulheres é do lar ou é a principal responsável por essas tarefas.

Vem a direita e usa um discurso simples de entender independentemente da formação (ou da falta dela), promete segurança, estabilidade econômica suficiente pra aumentar teu poder de compra, reação contra terroristas e não mexe com tuas crenças pessoais. E vence as eleições.

O que alguém poderia esperar de diferente?

Certos discursos não adiantam. Certos métodos não funcionam mais. O mundo ainda tem muito de retrógrado, sim, e tem muito a melhorar. Mas, embora retrógrado no pensamento, o mundo não paralisou no tempo em outros ângulos. Há que se pensar de forma diferente. Mudar certos discursos, como:

– A MÍDIA É GOLPISTA E A FAVOR DA DIREITA:

A Globo e a Veja fizeram uma campanha enorme pelo Freixo: Crivella ganhou. Praticamente todas as mídias estadunidenses torceram pela Hillary: Trump venceu.

Ao invés de ficar servindo de relações públicas de partidos, os veículos de informação deveriam tratar de selecionar bem o público que interessa para suas metas (não é o mesmo que selecionar um público específico qualquer), conhecê-lo e dialogar com ele, dando-lhe informação relevante para suas decisões. Não montar grupinho de confirmation bias para crentes fervorosos da causa. Isso não é política, é clubismo.

 

– TODO MUNDO QUE DISCORDA DE MIM É UM CEGO ILUDIDO:

Pode ser. Mas se alguém disser o mesmo pra você sobre suas ideias, essa pessoa vai conseguir te convencer a aderir ao que ela defende? Ou, ao contrário, você vai, além de se aferrar ao seu próprio pensamento, reagir com antipatia por ter sido chamado de ignorante, tendo sua inteligência posta em xeque logo de cara?

Isso deveria ser tão óbvio que nem precisaria estar nesta lista, mas acontece com tanta frequência que só posso pressupor que não se tocam, tamanha a megalomania.

 

– POSIÇÕES POLÍTICAS DIFERENTES DA MINHA REPRESENTAM O MAL NA TERRA:

De novo a arrogância moral e falta de interesse em quem diz querer defender; sequer escutam os motivos da pessoa, simplesmente se aferram à própria visão e saem condenando – e com o carisma de uma motosserra.

Já pararam pra reparar que políticos que defendem pautas eticamente questionáveis de um ponto de vista progressista defendem, também, pautas mais básicas e que todo mundo tem interesse? Não? Então saiam da bolha. Vocês deveriam saber.

Esse pensamento arrogante só afasta mais ainda as pessoas.

Enquanto vocês estão lá falando que “Fulano de Tal vai cortar o Ministério da Cultura e tirar bolsas de iniciação científica na faculdade”, o povão só quer saber se vai ter polícia na rua, pelo menos, pra sentir-se seguro quando for trabalhar antes do sol nascer e voltar tão tarde que só tem assombração na rua.

Quando se ignora as razões legítimas que podem estar por trás de decisões equivocadas (ou que alguns consideram equivocadas), dá-se as costas ao outro, passando a imagem de ditador intolerante.

Evidentemente que quem faz isso é considerado uma ameaça àqueles interesses legítimos. Basicamente, estão forçando as pessoas a votarem “num candidato forte o bastante” pra acabar com esse seu autoritarismo e desejo de controle.

Lembre-se: foi você quem fugiu do diálogo.

 

– DEFENDO AS MASSAS, OS POBRES, OS NEGROS, AS MULHERES, OS LGTBQRSAgenderfluksfluidflux+++:

Vou dar um rápido rascunho das massas: pobre quer creche e grana no bolso, não textão elogiando funk e apologia à pobreza idílica; negros querem se misturar e serem bem tratados por características pessoais além da cor da pele, não ficarem em espaço seguro e terem o monopólio de “símbolos da raça”; mulheres querem independência e poder de compra, creche, emprego legal e coisas que os homens querem, não textão implicando com roupa de desenho animado da Disney.

LGBTs querem o mesmo que outras pessoas E TAMBÉM segurança para viverem sem serem importunados por suas características. Há formas melhores de ajudar nisso do que discutir por dias os motivos que levaram a sociedade “hipócrita, preconceituosa e burra do caraio” a rejeitar uma trans pregada na cruz como protesto.

Não sobrou uma esquerda defendendo as massas desde que ela ocupou o espaço que antes era “da direita”: cargos políticos e bancos universitários. Vendeu sonhos e acabou presa no próprio mundo de exercícios mentais.

Isso abriu um espaço ENORME pra direita agir com aqueles que vocês tanto dizem defender.

Observem a relação entre o número de pobres evangélicos e a ascensão da bancada evangélica. Observem a forma dessas igrejas agirem onde os “conscientes defensores do povo” deveriam agir.

A esquerda hoje é acadêmica. Quem faz trabalho de base é o outro lado.


Contribua com a continuidade de Ano Zero, clique aqui.

Você pode querer ler também:

As esquerdas contra o povo: a crise invisível e o adesismo militante
Ok, vamos ocupar as escolas, mas e depois?

  • Maôejin

    È isso mesmo! Quando estamos concordando que liberdades individuais são importantes os esquerdistas ficam com sorrisão no rosto, mas quando dissemos que liberdade econômica também é importante, aí já começam a te chamar de reaça, fascista, machista, homofóbico e o caralho a 4. Essa é a esquerda típica.

    • Marco Alencar

      Porque liberdade econômica não se alcança do jeito que provavelmente você imagina. Segundo os próprios autores liberais clássicos.

      • Maôejin

        Diga isso para os melhores países do mundo, onde em nenhum deles o esquerdismo é tido em primeiro lugar.

  • Território Alheio

    Gostei desse texto.
    Concordo em varias partes e me fez repensar algumas coisas.

  • Glauco Viana

    MICHAEL MOORE ha 4 meses atrás em um texto previu a vitoria de Trump, os motivos e até os estados em iria ocorrer o fenômeno que decidiria a eleição, acertou em tudo. Eu acho essa fragmentação de pautas muito comum nos EUA e que é relativamente recente algo como mercantilizar a politica, criar nichos mercado, penso que as pautas unificada pra libertar a humanidade da exploração, ter direitos e serviços básicos e distribuição de renda,

  • Matheus Ferreira

    Sempre a mesma coisa os liberais reforçam campanhas contra governos progressistas (Sociais democratas) na America do Sul e em outras partes do mundo,depois que reacionários assumem o controle a culpa é da esquerda.
    No caso dos EUA o problema sempre foi maior,pois lá existe um bipartidarismo onde os dois partidos apresentam característica de direita um mais liberal e outro mais reacionário.
    E a culpa é da Esquerda?
    O filho é de vc´s,aliás deveriam comemorar ou não vai que gostariam das intervenções da senhora Killary ao redor do mundo!
    De qualquer forma parabéns,estão vencendo o comunismo!
    haha

    • Wally Oeste

      A esquerda acha q vai fazer uma revolução sozinha. Há uma parte importante a se considerar, o resto do mundo. E esse mundo é ainda mto conservador ou alienado (“vagabundooo comunistaaa”).
      Portanto, há uma massa q pouco nos preocupamos em convencer, apenas atacamos. Isso é uma baita falha nossa.

  • Wally Oeste

    Isso é um grande ponto. Nós da esquerda somos vidrados em mudar o mundo ou pela revolução, mas nos esquecemos q isso está mais distante do q imaginamos e não é radicalizando q conseguiremos essa mudança. Não estou falando em amenizar o discurso para centro-esquerda, mas sim sobre entendermos q temos q atingir a população de algum modo positivo, ou seja, sem gerar aversão. A mudança/revolução é gradual e não ideal!

  • Cláudio Lima

    A direita é cética, portanto, não acredita em utopias. Ela é conservadora e prática, não fazem masturbação intelectual. O homem do povo também age do mesmo jeito. Sem foi assim. A esquerda tomou maior espaço quando Lula apareceu, pois Lula tem relação direta com o povo, sem floreios intelectuais. Entretanto, ao chegar no poder, o Lula não foi diferente dos antecessores. Parece-me, agora, que não há um campo definido. Nas próximas campanhas eleitorais, não ficará claro para o eleitor quem é de esquerda e quem é de direita, pois a tendência é achar que são todos farinha do mesmo saco.

    • O liberalismo econômico total é uma utopia tanto quanto a do Estado total da esquerda.

      Mas concordo sobre o Lula.

  • Junio

    Mais ou menos né! O PT do Lula trouxe uma esquerda 2.0! Que dialogava com a direita, financiava banqueiros e construtoras, pagava mesadas a deputados, a ainda redistribuia renda com o Bolsa Família, ofertava acesso a graduação com o PROUNI, SISU, FIES, etc… era considerado como “o cara” por Obama e o “amigo” por Chaves, conquistou um congresso para a sua sucessora que ele, mesmo com o mensalão, nunca obteve, e tudo isso não foi suficiente para se manter este projeto no poder! Então penso que a reflexão deve ser um pouco menos simplista, ou então basta concluir que um metalúrgico sabe fazer política de massas bem melhor do que uma economista graduada (independentemente de ter concluído seu mestrado ou não).

  • Caio

    Pior que as vezes esse discurso politicamente correto é contraditório quando conhecemos seus defensores no dia dia… O que a esquerda, principalmente a universitária, acha ser dona.

    Daí a população comum não bota fé, acha que é somente falácia de “esquerdista”.. Coisas foram de seu mundo pequeno, já que estão preocupados com seu emprego e contas para a pagar e não com as mazelas dos séculos..

    Eu mesmo já acho o feminismo que nem campanha antidrogas, provoca o efeito contrário pq tem muita gente de saco cheio já de ver a mesma coisa de ver alguma piada ou caso corriqueiro machista ser relacionada a estupro e assassinato…

    De ver todo dia um discurso pronto e mastigado dito 1 trilhão de vezes de quem nem ao menos trabalha ou da uma seta básica pra uma família carente.

    • Son Son

      Meu, falou perfeitamente cara! É isso, o movimento e esses sjw se sabotam e só estão disseminando mais odio.
      Seu comentario foi perfeito.

  • antisexo

    Vocês foram os que mais abraçaram o pós modernismo, vocÊs de esquerda, agora sintam o ácido do que vcs criaram. Eu disse que isso ia dá merda.

  • academia invisível

    Muito legal a análise escrita no texto, sendo que a autora deixou bem evidente o viés ideológico de sua interpretação sobre os problemas no movimento da esquerda em todo o mundo.
    Só ficou faltando fazer uma análise mais profunda do pq a esquerda acaba por reproduzir em seu discurso esses problemas e a direita não. O motivo está na seguinte diferença : Os líderes da Direita apenas contam mentiras pra conquistar o apoio da população que em sua maioria prefere o discurso bonito e moralista (sem ser retirado de sua zona de conforto), culpando as minorias desprivilegiadas pelos problemas gerados pelo capitalismo sem atacar as verdadeiras raízes dos problemas sociais que estão presentes nas engrenagens do sistema atual. E é por isso que o discurso da direita é tão popular com as massas, mesmo não representando muito bem os interesses delas.
    Já a Esquerda prefere o discurso da observação da realidade que não é confortável nem bonito, que questiona todo conhecimento com o qual vc foi criado ao invés de te dar respostas prontas e fáceis, que tenta renovar e seguir um novo caminho através da análise científica, atitude muito mais árdua e dolorosa, para a qual nem todos estão preparados, afinal nem todos estão prontos pra abandonar os pré-conceitos e equívocos que cultivaram e defenderam durante toda a sua vida.

    Não querendo dizer que os militantes são TODOS assim, é obvio que existem pessoas de todo o tipo defendendo o seu pensamento, mas temos que concordar que a maioria das pessoas que defendem a direita no Brasil o fazem por causa do teor conservacionista e não pq entendem os mecanismos do sistema que defendem (pessoas que simplesmente cairam de paraquedas em um meio onde predomina essa ideologia e não compreendem pelo quê lutam)
    Tenho consciência também que existem pessoas da esquerda que simplesmente repetem discursos sem entende-los , mas esses são casos mais raros, já que há uma rejeição muito forte para com a esquerda no mundo todo (herança da anti-propaganda norte-americana desde a Guerra fria),e geralmente as pessoas que persistem militando na esquerda o fazem após obtenção de um nível mínimo de conhecimento que desconstruiu esses preconceitos provenientes do senso comum e da mídia imperialista.

    O fato é que, independente da sua ideologia, a unica maneira de evitar a autodestruição da espécia humana é se passarmos a viver uma vida sustentável, evitando repetir os erros do passado, abandonando todas as nossas pré-concepções e mudando o nosso estilo de vida, que é o que sustenta o sistema capitalista que a direita procura manter a todo custo. E esse dia vai chegar, pode não ser hoje ou amanha, mas um dia quando os recursos se tornarem escassos as pessoas vão entender a necessidade de substituir o modelo de competição no qual estamos inseridos por um modelo de cooperação .

  • Há uma grande confusão quanto ao texto em questão, afinal muitas pessoas estão se reconhecendo nele, vendo nele um ataque contra si mesmas. Não é o caso, e digo com propriedade quanto à autora. Ela, mais do que muita esquerda que conheço, é propositiva. Não quer diminuir, sem antes fazer refletir em prol de uma melhora.

    Ocorre que as pessoas não estão abertas a reconhecer suas falhas, buscando fugir desse reconhecimento com proselitismo ideológico para manter sua certeza de que o que está a fazer ainda é o certo, seja por haver um conjunto de indivíduos ao seu lado, seja porque sua teoria é complexa e faz sentido dentro de seu conjunto amarrado de conceitos ideológicos.

    Mas a realidade é bem banal, na verdade. Não precisamos buscar uma Escola de Frankfurt pra entender como um cidadão comum opera, na práxis cotidiana dele: quer grana, quer alimento, quer cuidar dos seus, quer ser relativamente saudável, quer segurança, quer poder ser educado e quer sexo.

    Essa simplicidade absurda da vida é a origem de todo o mal e bem na terra. A banalidade do mal é um conceito, mas pelos mesmos motivos há uma banalidade do bem também.

    Portanto, quando se hipervaloriza um lado, vendo-o como herói dos oprimidos e desfavorecidos, criando-se teorias complexas a fim de abranger a realidade em sua totalidade, se distancia daquilo que justamente diz estar querendo se aproximar: o pobre, o favelado, o oprimido. Aquela pessoa que tá pouco se fodendo (nessas palavras mesmo) pra complexidade da tua percepção de mundo (que muitas vezes é só política, não é sequer econômica).

    A Renata acerta ao apontar essa falha, e nada mais comum que reagirem se sentindo ofendidos e acusando como raso aquilo que justamente contempla a própria condição humana daqueles que visa defender: uma vida rasa, banal, simples e que, de alguma forma, repudia coisas complexas.

  • Carlos Sousa

    O fato é que a esquerda atual é muito pequeno-burguesa. Eles se preocupam com problemas típicos da pequena burguesia: fumar maconha, ecologia, LBGT, etc. Tudo questão importante, sem duvida, mas não sao problemas prioritários para o povão. O que o povo quer é primeiro sobreviver, se tiver ruim pra eles, foda-se as questões pequeno-burguesas. As prioridades da esquerda estão invertidas. É hora de focar nas questões básicas de desigualdade social, porque é isso que faz a esquerda relevante.

  • Parabéns, Renata… Foi o recorde de colocações-escalafobeticamente-reveladoras-fundamentadas-em-bodega nenhuma por cm² de tela de monitor no ano de 2016.

    Isso é um movimento hipster dentro da esquerda-cult? O que q está acontecendo aqui?! Esquerda orkutizou e agora vamo bater a marreta nela!?

    Eu espero que você esteja contente com a espessa camada de golpistinhas neo-liberais apoiando seu texto… este que por sinal não consegue SEQUER separar o que é ideologia de “direita” e de “esquerda”. Partido Democrata nos EUA é esquerda agora!? REALLY!? É sério que você publicou um absurdo desses?! Um Clinton… de ESQUERDA?! Me faz um favor, né.

    Eu nem vou gastar linhas e mais linhas de texto explicando PORQUE as gestões da direita conseguem os votos promovendo 2 discursos (o circense e o real, que vem atrelado aos interesses do grande capital) e a esquerda que adota um discurso único. Você estaria propondo que o discurso da esquerda fosse um pouco mais “desonesto” pra ganhar?! Com muita alegria venho informá-la que isso já aconteceu. E foi com o PT. E não foi bacana, certo?

    Quando se expõe matéria em estado de decomposição (“podre”) tende-se a ver proliferação de vermes. Incrível como a natureza tem um sistema coeso, né… É só olhar esse post, e o que ele foi capaz de atrair.

    • Eles nem falam da Hillary Clinton no texto, cara

      • Você chegou a ler o texto? Ou veio direto pros comentários?

        Volta ali e lê, por gentileza. Daí a gnt pode debater.

        “A Globo e a Veja fizeram uma campanha enorme pelo Freixo: Crivella ganhou. Praticamente todas as mídias estadunidenses torceram pela Hillary: Trump venceu.”

        • Ah, eu realmente não vi. Mas e daí? Sim, a Clinton não é de esquerda, simplesmente oportunista. Mas que todos os seus defensores são progressistas e com um viés esquerdista, isto é inegável. Isso incluí essas mídias também. E por que o Partido Democrata não seria de esquerda? Acha que esquerda é só old-left estilo PCO e PSTU? No contexto dos EUA, ele é SIM de esquerda. Assim como os seus defensores. Ou vai me dizer que advogar por causas como fim da guerra às drogas, direitos LGBT, igualdade de gênero, anti-racismo, ecologia, multiculturalismo, programas sociais, não é ser de esquerda?

    • Rafael

      Essa resposta meio que mostrou o quanto falta auto-crítica na esquerda. Isso vindo de alguém que simpatiza com muitas pautas da esquerda e sente que boa parte dela tem levado o jeito de umas coisas que afastam o diálogo e simpatizantes. E o pior, ainda acredita que todo mundo que está vendo isso é golpista neoliberal.

      Beleza, continuem assim. Vai dar certo.

  • Paulo Emílio

    Fazia tempo que não lia uma crítica certeira. Parabéns.

  • Caio

    A esquerda, principalmente a militância, é simplesmente presunçosa, e ninguém aguenta presunçosos.

  • Eduardo Prado

    Eu concordo com quase tudo, mas existem trabalhos sociais importantes sendo realizados pelas lideranças evangélicas das comunidades periféricas e mesmo grupos de moradores que se unem em torno de uma ação de solidariedade a alguém ou de alguma melhoria no bairro. Só que essas pessoas não são consideradas de esquerda pela esquerda.

  • Leandro

    Interessante, mas tenho um contraponto.

    A gente vai na página do MBL e TUDO lá é “extrema esquerda”: o Esquenta é um programa de “extrema esquerda”, o Lula é “extrema esquerda”, o Ciro é “extrema esquerda”, o PSOL é “extrema esquerda”… tudo é “extrema esquerda”. Quem sabe um mínimo de política e compreensão dos discursos de Lula, Ciro, PSOL ou mesmo do programa Esquenta sabe que, dentro do campo progressista, essas pessoas todas estão separadas por milhas e milhas e milhas. E o Esquenta nem é “esquerda”, porra.

    Vai na página do Bolsonaro e tudo é esquerda, tudo é bolivariano, tudo é o mal na Terra. Vê o Malafaia e tudo é gay, esquerdista. Tudo é esquerda.

    Todos esses caras são tão intransigentes quanto qualquer “radical de esquerda” que briga porque a Mulher Maravilha depila as axilas.

    Sério, todos os pontos citados no artigo acontecem na direita radical também!

    Mídia é de esquerda: É só ver a página “Caneta Desesquerdizadora”, que tem a pachorra de chamar o Estadão (O ESTADÃO, O JORNAL MAIS LAMBE BOTA DO GOVERNO) de comunista.
    O diferente é mal na Terra: só ver o papo de que tudo é esquerda e a esquerda é culpada por TUDO que existe.
    Defendo todo mundo: todos eles assumem um papel de salvador do “cidadão de bem”, do “povo brasileiro”.

    Então porque ELES não perdem eleições se fazem a mesma coisa? Acho que o buraco é mais embaixo.