Publi­que no AZ! Entre em con­tato conosco e envie seu tra­ba­lho para [email protected] Mas antes de ela­bo­rar seu con­teúdo, veja as seguin­tes dicas para publi­ca­ção no AZ:

Pense fora da caixinha

Evite limi­tar seu texto ape­nas à sua opi­nião — ela é impor­tante, mas tente apoiar sua pro­posta em algo exte­rior à sua sub­je­ti­vi­dade: pode ser um autor, um livro, um filme, uma teo­ria ou pes­quisa cien­tí­fica, a ideia de algum pen­sa­dor ou até mesmo um fato his­tó­rico ou noti­ci­ado. O impor­tante é con­vi­dar o lei­tor à uma refle­xão e diá­logo que não se res­trinja à opi­nião do autor, mas sim leve o lei­tor para além do pró­prio texto.

Tenha em mente sempre o leitor

A pro­posta de Ano Zero é que o con­teúdo publi­cado no site não subes­time a inte­li­gên­cia e saga­ci­dade do lei­tor, sem no entanto ser pedante. O enfo­que das publi­ca­ções no site Ano Zero é a evolução/crescimento pes­soal do lei­tor, ampli­ando seu hori­zonte enten­di­mento pró­prio, de enten­di­mento do mundo, de sen­si­bi­li­dade e de empa­tia.

Por isso, antes de um texto ser escrito para o Ano Zero, o autor pre­cisa se per­gun­tar de que modo o tema ou o enfo­que a ser esco­lhido pode dar ao lei­tor pelo menos uma des­sas qua­tro coi­sas:
1) acres­cen­tar algo à vida prá­tica e pes­soal do lei­tor, em ter­mos de conhe­ci­mento ou pos­si­bi­li­dade de conhe­ci­mento;
2) tra­zer ques­ti­o­na­men­tos num assunto sobre o qual o lei­tor, antes, só tinha cer­te­zas, per­mi­tindo qua­li­fi­car seu pen­sa­mento, em algum tema que lhe inte­ressa e afeta sua vida;
3) ofe­re­cer uma nova e inu­si­tada pers­pec­tiva sobre um assunto já conhe­cido pelo lei­tor, em algum tema que lhe inte­ressa e afeta sua vida;
4) des­per­tar o inte­resse do lei­tor sobre algo que afeta sua vida mas que, antes, jamais lhe tinha ocor­rido, ou com o que ele tinha pre­con­ceito.

Use linguagem informal, mas não assassine a língua portuguesa

A lin­gua­gem pre­cisa ser sim­ples, fluida e infor­mal. Isso vale inclu­sive e prin­ci­pal­mente para aque­les tex­tos de con­teúdo mais com­plexo, den­sos. A Inter­net, ao con­trá­rio de mate­rial físico, tende a dis­per­sar o lei­tor, sendo muito fácil sim­ples­mente aban­do­nar o link atual e par­tir para outro, logo, é essen­cial man­ter preso o inte­resse do lei­tor. Por outro lado, ainda que não seja­mos ape­ga­dos aos for­ma­lis­mos da lín­gua pátria (ênclise, mesó­clise e outros bichos dessa fauna), é pre­ciso ter bom voca­bu­lá­rio saber uti­li­zar cor­re­ta­mente as regras bási­cas da lín­gua por­tu­guesa. Tex­tos com exces­si­vos erros sequer serão con­si­de­ra­dos.

Use a comunicação não-violenta

Quando se trata de fazer uma crí­tica, Ano Zero pro­pugna pela comu­ni­ca­ção não-vio­lenta. Assim, ao cri­ti­car algum grupo ou tipo de com­por­ta­mento, pen­sa­mento, ide­o­lo­gia ou até mesmo estilo de vida, soli­ci­ta­mos que o autor evite ata­ques pes­so­ais, eti­que­ta­men­tos e cari­ca­tu­ri­za­ções ofen­si­vas, pau­tando sua opi­nião pela cor­di­a­li­dade e uti­li­zando uni­ca­mente argu­men­tos raci­o­nais e obje­ti­vos.

 

 

Compartilhe