(Tradução autorizada por Tim Urban, autor do texto original em inglês, publicado no site Wait But Why)


No início da leitura deste artigo, vamos listar algumas perguntas que faz tempo que você não faz a si mesmo:

– Por que eu existo?

– Por que tenho essa aparência?

– De onde vieram os genes que me fazem ser quem sou? Se eu rastrear a origem desses genes, as coisas começam a ficar incrivelmente estranhas, tão estranhas que uma série de desenhos infantis no estilo do Wait But Why precisarão ser feitos?

Para chegar ao fundo das coisas, vamos começar no presente e abrir nosso caminho até o passado, rastreando nossos gentes em largos passos ao longo do caminho.

Vamos começar com você. Eu não conheço você, mas eu posso dizer que você se parece mais ou menos assim:

youPara manter tudo simples, vamos nos ater a sua linhagem paterna, a linhagem masculina do seu DNA.

Então dando um passo para trás, temos seu pai:

fatherPara manter tudo simples, vamos nos ater a sua linhagem paterna, a linhagem masculina do seu DNA.

Então chegamos a seu bisavô, taravô, e inevitavelmente a seu tataravô, que provavelmente nasceu entre 1825 e 1875. Ele era assim:

img3Seu tataravô viveu a maior parte de sua vida sem água encanada e eletricidade, e ele provavelmente era mais preconceituoso do que você é. Você nunca o encontrou, mas sem ele, você não existiria.

Agora que fomos de seu pai para seu avô, de seu avô para o bisavô e assim por diante, vamos pular 22 gerações para seu tara20avô (sendo a quantidade de “taras” indicada pelo número potência):

im4Seu tara20avô não brincava em serviço. Quando ele não estava torturando alguém, ele estava torturando a si mesmo. Se ele não fosse contaminado pela Peste Negra e morresse, iria massacrar mulheres e crianças nas Cruzadas. E estranhamente, ele pode ter tido o mesmo sobrenome que você.

Se ele pudesse encontrar você, ele ficaria surpreso ao ver essa sua atual vida de coxinha. Mas não ficaria tão surpreso quanto o seu tara500avô ficaria.

5Seu tara500avô não passou anos divagando sobre qual a profissão que expressaria seus propósitos mais íntimos. Ele caçava animais, batalhava contra outras tribos e de alguma forma conseguiu dar um jeito de engravidar alguém antes de morrer pouco após completar 30 anos. Se não tivesse conseguido, você e alguns milhões de outras pessoas vivas hoje em dia não existiriam.

6Agora chegamos a uma época antes de os seres humanos serem inteiramente humanos, e uma época em que um animal muito especial viveu. Os cientistas chamam-no de Adão Y-cromossomial. O Adão Y-cromossomial é o ancenstral mais recente dos ancestrais dos quais todos os humanos atualmente vivos decendem – em outras palavras, ele não é apenas seu tara14.000avô, ele é o tara14.000avô de todo mundo no planeta neste momento, e foi o último dos ancestrais comuns a todos nós.

E como o Adão Y-cromossomial se parecia? Ele era um homem horroroso e altamente desagradável que provavelmente estuprou gente. Mas a boa notícia para todos nós é que ele existiu e sobreviveu o suficiente para transferir seus genes. Se ele não tivesse feito isso, provavelmente a raça humana teria sobrevivido, mas o mudo atual poderia ser completamente diferente de como é e nenhum de nós existiria.

7Certo, a partir daqui é que as coisas ficam estranhas. Três milhões de anos atrás, não havia humanos. Nossos ancestrais daquela época eram um híbrido de macaco e humano chamado Australopitecus. Seu tara220.000 avô não era um homem sofisticado – seu cérebro tinha 35% do tamanho de um cérebro humano – e ele não era atraente. Mas ele foi um dos primeiros de nossos ancestrais que era bípede, ou seja ele podia ficar de pé – isso permitia que ele usasse suas mãos para outras coisas, como fazer e utilizar ferramentas, o que fez os mais inteligentes prosperarem, impulsionando a rápida evolução dos cérebros maiores.

8Seu tara550.000avô era um macaco muito importante. Não apenas ele é o ancestral de todos os seres humanos vivos, ele é o ancestral de todos os chipanzés vivos também. Esse é o mais recente momento na história em que compartilhamos um ancestral com os chimpanzés – cientistas acreditam que há 6 milhões de anos atrás a tribo dos hominídeos separaram-se em dois ramos que futuramente resultariam em humanos e chimpanzés. Isso significa que por essa época existiu um macaco que teve um filho que prosseguiu e se tornou o ancestral de todos os seres humanos, e outro filho que prosseguiu e se tornou o ancestral dos chipanzés.  

9Diferente da maioria dos seus descententes, seu tara15.000.000avô tinha um péssimo senso de timing e coexistiu com os dinossauros. Até o gigantesco asteroide levar os dinossauros a extinção há mais ou menos 66 milhões de anos atrás, os mamíferos eram pequenos, cidadãos de segunda classe confinados principalmente às árvores. Esse sujeito despretensioso é um ancestral comum a todos os primatas modernos.

10Quero que você relaxe e assimile o fato de que seu tara55.000.000avô era um roedor. Mais especificamente, ele era um Eutherian – o primeiro mamífero com placenta e o pai de todos os mamíferos ao lado dos marsupiais e ovíparos. Então se existe uma baleia em um site como esse planejando escrever um artigo como esse, rastrear seus ancestrais o levará a esse ponto, e a partir daqui ele pode simplesmente copiar este artigo pois ele se aplicará às baleias também.

11Ao invés de gritar ao ver uma centopeia e tentar esmagá-la com um chinelo e correr como uma pessoa normal, seu tara125.000.000avô a comeria. Ele era um réptil recente, o primeiro em nossa linhagem com genuínos braços e pernas e um sistema nervoso avançado – e ele é o momento mais recente em que mamíferos, repteis e aves compartilharam um ancestral em comum. (em algum momento entre ele e nosso ancestral roedor houve um híbrido bizarro – o primeiro dos mamíferos, que depositava ovos, como o atual ornitorrinco).

12Seu tara160.000.000avô odiava a vida. O primeiro membro de nossa linha patriarcal a aventurar-se pelo oceano, ele é o equivalente evolucionário dos modernos humanos que imigram para um novo país, deixando para trás tudo o que conheciam para começar em um território totalmente novo porque essa era a melhor oportunidade para a família a longo prazo. “Caminhar” é um termo generoso para o que seu tara160.000.000avô fazia durante suas excursões pela terra seca – ele empurrava seu corpo miseravelmente pela lama, esforçando-se para respirar, tudo isso para que um dia você pudesse viver fora do inferno que é o frio e trevoso oceano.

Seu nome era Acanthostega – e ele foi o pioneiro de vários recursos modernos, inclusive dos pulmões além das brânquias e ossos nas nadadeiras, inovações que resultaram em braços e pernas em seus descendentes.

13Seu tara220.000.000avô era um peixe. Olhe para seus braços e pernas, e agora olhe para a imagem acima – seus membros são só uma versão mais desenvolvida daquele par de pequenas e frágeis barbatanas. Se esse peixe pré-histórico houvesse se adaptado de forma diferente para equilibrar-se nas correntes dos oceanos, o corpo humano teria uma forma totalmente diferente hoje. A outra característica que torna esse sujeito uma celebridade é ter sido a primeira criatura com uma mandíbula – os ancestrais anteriores apenas tinham um buraco de sucção.

14Se seu tara255.000.000avô parece uma planária desengonçada, é porque isso é exatamente o que ele é – mas ele merece crédito pela invenção do cérebro e por ser o primeiro animal bilateral (tinha uma parte frontal e outra traseira).

15Não sei bem como dizer isso, mas esse ser acima é parte da sua linhagem.

Eu quero que você pause e só considere por um segundo que eu não estou inventando uma merda maluca aqui – se você pegar seu pai, e o pai de seu pai, e fizer isso 435.000.000 vezes, você vai chegar em uma água-viva. A evolução é algo bizarro.

Mas não vamos prosseguir sem dar o devido crédito à água-viva por duas grandes inovações – nervos e músculos. Os olhos surgiram pela primeira vez nesse período também, o que uma teoria afirma ter sido o fator determinante para a explosão populacional Cambriana, quando a vida animal repentinamente explodiu em diversidade.

16Se seu tara555.000.000avô era uma esponja e passou toda sua vida entediado pra caralho.

Ele tem um grande trunfo, a razão pela qual é o primeiro animal do mundo. Até essa época, toda a vida existente consistia em organismos unicelulares, e ele foi a primeira criatura feita de múltiplas células.

E não, essas plantas não existiam então e não deveriam estar no desenho. Mas eu só percebi isso agora, e estou orgulhoso de fazer esse desenho, então vou deixá-las ali.

17Nós tivemos de passar por um bocado de gerações para chegar ao seu tara100.000.000.000avô, uma complexa célula eucarionte.

Ele pode não parecer grande coisa, mas ele é tanto o ancestral de todo o reino animal como o inventor do sexo. Ele também é simpático.

18Retrocendendo muito muito mesmo até chegar ao início da existência da terra, nós encontramos seu tara850.000.000.000avô, uma infeliz e simples bactéria com muito pouco carisma. Sua principal conquista é a invenção da fotossíntese, o que encheu a atmosfera com oxigênio e pavimentou o caminho para a vida do presente existir.

19Retrocendendo 1.150.000.000.000 gerações e cerca de 3,8 bilhões de anos, nós chegamos ao fim da sua linhagem – a primeira partícula viva e a fundadora de toda a vida na Terra. Para começar, não estamos muito certos de como ele começou a viver – essa é uma das grandes questões científicas de nosso tempo. Há diversas teorias, incluindo a geração espontânea, a emergência de uma sopa primordial e alguns até mesmo sugerem que ele chegou à Terra vindo de algum lugar no espaço. Seja qual for a teoria, nós devemos muita coisa a esse cara, e nós deveríamos dedicar um instante para apreciar esse solitário momento da vida há 3,8 bilhões de anos atrás que resultou em tudo o que conhecemos hoje.

Ao concluirmos nossa viagem, temos duas coisas para refletir:

1) Como é rica a história de nossos genes. Seus genes tiveram uma longa jornada, passaram por trilhões de outros organismos, e foram submetidos a uma insana quantidade de mutações otimizadoras para finalmente chegarem empacotados juntos em seus cromossomas. Você é do jeito que é por causa de coisas que ocorreram com aquela água-viva, aquele lagarto, aquele macaco e a forma como cada um deles se adaptou ao meio ambiente ao longo de bilhões de anos.

Eu li que quando soluçamos, isso é um remanescente de um impulso pré-histórico dos peixes – quando seu corpo faz algo ou sente algo, há uma janela na sua profunda e entrelaçada conexão com todas essas outras espécie com a história da vida.

2) Quão incrivelmente improvável é que você exista. Retrocedendo até a primeira partícula da vida, encontramos mais de um trilhão de pais e de pais de pais que acaram culminando naqueles que conceberam você. E se qualquer um desses pais (ou mães) tivesse morrido antes de se reproduzir – se um dos milhões de peixes em sua linhagem tivesse sido prematuramente comido, se um dos milhões de roedores em sua linhagem tivesse sido esmagado enquanto bebê por uma árvore que estivesse caindo, você não existiria. Talvez existisse alguém parecido com você – mas não você.

——————————–

Fontes

– Toth, Nicholas and Schick, Kathy (2005). “African Origins” em The Human Past: World Prehistory and the Development of Human Societies (Editor: Chris Scarre). London: Thames and Hudson. Página 60.

– Richard Dawkins 2004 The Ancestor’s Tale, páginas 136, 250, e 289.

A Jurassic eutherian mammal and divergence of marsupials and placentals http://dx.doi.org/10.1038/nature10291

– Eckhart L, Valle LD, Jaeger K, et al. (November 2008). Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America 105 (47): 18419–23.

– http://web.archive.org/web/20090319201312/http://www.uhh.hawaii.edu/~ronald/392/Homol-Gill-Jaw.JPG

– http://www.ucmp.berkeley.edu/protista/proterospongia.html

– Muito da Wikipedia, claro, mas já que isso seria “pouco profissional”, nós simplesmente fingimos que não fez parte deste artigo.

Uma nota sobre como eu calculei o número de “tataras” em cada caso:

Fiz isso através de estimativas aproximadas do tempo de duração de cada geração com base na típica expectativa de vida e idade da maturidade reprodutiva das várias espécies ao longo do caminho. Comecei com 25 anos para as gerações humanas, depois 13 anos para o Australopitecus e primadas desenvolvidos, 5 anos para os primatas mais antigos, 2 anos para os roedores, lagartos, peixes e vermes, 2 meses para as água-vivas e esponjas, e um dia para organismos unicelulares.


Wait But Why publica uma vez por semana. Nós enviamos cada post por email para mais de 95.000 pessoas – informe seu email aqui e colocaremos você na lista (nós mandamos apenas um email por semana). Você pode também seguir Wait But Why no Facebook e  no Twitter.

escrito por:

Tim Urban

Formado em Ciências Políticas pela Harvard University, é autor do site Wait But Why e fundador da ArborBridge.


JUNTE-SE À NOSSA NEWSLETTER
Junte-se a outros 2.000 visitantes que recebem nossa newsletter e garanta, semanalmente, artigos sobre ciência, filosofia, comportamento e sociedade diretamente em seu e-mail!
Nós odiamos spam. Seu e-mail não será vendido ou compartilhado com mais ninguém.