“A discórdia não é tão feia como se pinta, meu amigo. Nem feia, nem estéril”, ensina o Conselheiro Aires, personagem-narrador de Machado de Assis. Atualmente, vivemos um período de discórdias. Com as eleições, começou um longo período de combates políticos, sociais, religiosos e ideológicos. Por um lado, a discórdia é sim feia e estéril. Pois não se trata mais de debates de ideias, mas de discursos de ódio, confrontos desagregadores, furiosos e falaciosos. Os sarcasmos jogam baixo, com agressão verbal e visual: reaças contra a esquerda caviar, coxinhas contra petralhas. Por outro lado, a discórdia é bela e fértil, pois ajuda a delimitar campos e interesses, desempenhando um papel formativo.

As polêmicas e disputas ideológicas que realmente contribuem para a constituição de um sistema político-intelectual e para o amadurecimento da democracia são aquelas que permitem afinar os argumentos e tornar as opções mais precisas. Assim, quando inovadoras e capazes de ampliar os problemas, modificando as respostas anteriormente oferecidas, as controvérsias revelam-se indispensáveis.

Para qualificar o debate, Ano Zero apresenta a cartilha “Eleições 2014: o amanhã começa agora”. Com texto de Vitor Cei, infográficos de Victor Lisboa e projeto gráfico de Anaise Perrone, a cartilha informa tudo o que você precisa saber para ser um eleitor consciente. Confira!

Clique aqui e baixe a cartilha.

Cartilha das Eleições

escrito por:

Vitor Cei

JUNTE-SE À NOSSA NEWSLETTER
Junte-se a outros 2.000 visitantes que recebem nossa newsletter e garanta, semanalmente, artigos sobre ciência, filosofia, comportamento e sociedade diretamente em seu e-mail!
Nós odiamos spam. Seu e-mail não será vendido ou compartilhado com mais ninguém.