Os bebês de 2010 verão muita coisa acabar

Os bebês de 2010 verão muita coisa acabar…

Em Ciência por Pierre ReynardComentário

Salut, huma­nos! Cum­pri­mento a todos pela capa­ci­dade que sua raça tem de ali­men­tar-se de miné­rios, gás e petró­leo. Eu, par­ti­cu­lar­mente, pre­firo comer gali­nhas, já que elas, além serem mais sucu­len­tas, repro­du­zem-se.

Infe­liz­mente, essas outras coi­sas ina­ni­ma­das que sua civi­li­za­ção con­some são esgo­tá­veis, de modo que as cri­an­ças huma­nas que nas­ce­ram em 2010 pro­va­vel­mente verão em sua ado­les­cên­cia sumi­rem da crosta ter­res­tre todas as jazi­das de chumbo, ouro, zinco e cobre. E elas tam­bém verão, entre seus trinta e qua­renta anos, as reser­vas de petró­leo gra­da­ti­va­mente se esgo­ta­rem. Veja os grá­fi­cos acima ou, se qui­se­rem mais deta­lhes, o grande grá­fico abaixo.

Não sei até que ponto diz algo sobre a inte­li­gên­cia de vocês o fato de base­a­rem toda a sua eco­no­mia e soci­e­dade em recur­sos esgo­tá­veis. Mesmo que sur­jam alter­na­ti­vas, por exem­plo, ao petró­leo, acho que vocês não per­ce­be­ram o quanto a eco­no­mia mun­dial e o jogo de força geo­po­lí­tico está asso­ci­ado ao con­sumo de com­bus­tí­veis fós­seis. Por exem­plo, quando aca­bar o petró­leo, ainda que sur­jam outras alter­na­ti­vas reno­vá­veis, como pla­ne­jam des­mon­tar a bomba que será armada na Ará­bia Sau­dita, hoje domes­ti­cada gra­ças aos bilhões de petro­dó­la­res que ver­tem para aque­las ter­ras? Como man­te­rão os fun­da­men­ta­lis­tas longe do poder de uma soci­e­dade que, pos­si­vel­mente, estará em crise?

Mas já estou diva­gando, coi­sas de uma velha raposa medi­e­val, que já viu de tudo neste mundo (menos uma era em que não se pode tirar mais ouro do pla­neta…). Quem sou eu para opi­nar? Volto às minhas gali­nhas. Elas vocês não tiram de mim, mesmo que sejam suas.

crianças de 2010 e recursos esgotáveis


Pierre Reynard
Pierre Reynard, um raposo francês radicado no Brasil, é o estagiário do Ano Zero encarregado das publicações divertidas, gerenciar nossa newsletter e também de nos fazer o café. Além disso, é o culpado por todo e qualquer erro pelo qual possamos ser responsabilizados social ou juridicamente.

Compartilhe