Fui criado vendo programas como X-Tudo, Castelo Rá-Tim-Bum e O Mundo de Beakman. Franjinha, da “Turma da Mônica”, e Doutor Brown, de “De Volta Para o Futuro”, me fizeram querer ser um cientista no futuro. Mas ao longo dos anos fui tendo uma leve inclinação para a engenharia. Hoje sou estudante de uma das várias que existem no mundo e tenho por base ser um defensor da ciência e de suas aplicações. Algumas coisas relacionadas a mentiras sobre ela me deixam realmente chateado, às vezes com raiva.

Ontem estava andando por uma livraria perto da minha casa e me deparei com um livro que comprei imediatamente, sobre física quântica. Como já disse, estudo engenharia e nela não se tenta descobrir o mundo que já existe. Mas tenho uma grande base para começar a entender este assunto e ser fascinado por ele. Plank, Heisenberg, Schrödinger, Einstein, são pessoas que você já deve ter ouvido falar e foram fundamentais para o estudo da ciência nesta área. Mas, infelizmente, neste momento eles estão se revirando no túmulo.

Procurando por “física quântica” no Google, logo se encontra relações com espiritualidade, misticismo e técnicas que prometem algum tipo de cura. Já tinha escutado sobre uma delas, mas nunca tinha prestado atenção, e fiquei realmente espantando com o que vi. A técnica se chama ThetaHealing e promete cura imediata através da alma, usando bases científicas, como a física quântica.

“Quântico”, é a moda hoje em dia. Usando o termo, são 99,99% de chances de ser picaretagem. Se não se associar o “quântico” à física (física de verdade, equações com variáveis e integrais) pode dar adeus à veracidade. É mais ou menos o que aconteceu com o “magnético” nos anos 80. “Quântico” é o bacon do misticismo, tudo fica melhor com “quântico”.

isac asimov ciência

O ThetaHealing ainda afirma que o paciente deve estar aberto e receptivo ao tratamento, pois nada pode mudar com relação a você, sem o seu consentimento. Bem, eu achei que era científico! Não é preciso acreditar na gravidade para que ela atue sobre o seu corpo. No site oficial da técnica, existe uma aba para convencer pessoas céticas, como eu. Buscando levar para o ponto da ciência, e afirmando que “estudos difundem a eficácia desta técnica a partir de parâmetros não subjetivos”. Estudos estes que não se tem fontes. Eu gostaria de informar aos adeptos e criadores dessa técnica que… ISSO SÓ É MAIS UMA PSEUDOCIÊNCIA! E esse tipo de coisa, com certeza não está restrito ao século XXI.

Em 1995, Carl Sagan, um dos maiores divulgadores científicos do século XX, publicou “O mundo assombrado pelos demônios”, onde é mostrado a base para o método cientifico e para o ceticismo filosófico. Basicamente o método científico é fazer observações, se questionar, formular hipóteses, fazer experiências e aceitar ou refutar tal hipótese. A astronomia ajudou a desenvolver o método científico, as observações dos primeiros astrônomos eram anotadas e compartilhadas na forma de publicações, que podiam ser comparadas, checadas e corrigidas por outros astrônomos.

O ceticismo filosófico é uma maneira de construir, entender, racionalizar e reconhecer argumentos válidos e inválidos, e prová-los de maneira independente. O livro de Carl Sagan deveria ser uma leitura obrigatória em todas as escolas, que tem como objetivo educar e ensinar. Mas infelizmente a péssima educação que temos se reflete na sociedade, as pessoas continuam sendo crédulas, supersticiosas, acreditando em coisas sem nenhuma evidência e sem nenhum tipo de vontade de estudar. Preferindo uma curiosidade mística ao estudo de fato.

sagan ferramenta

O ceticismo crítico deve ser ensinado, para que exista bom senso. Você pode achar que o que as pessoas não acreditam não tem importância, mas isso vira uma bola de neve. No começo questionam fatos concretos da ciência e logo depois já estão acreditando em homeopatia, astrologia, design inteligente, acupuntura, que as pirâmides foram construídas por ETs, que o homem não foi à Lua, e por aí vai. Não é à toa que o livro “O Segredo” foi best seller mundial, vomitando besteiras e mais besteiras.

A saúde da população também fica em risco com esse tipo de coisa, quando pessoas como o famoso João de Deus entram na jogada, enganando e extorquindo milhares de fiéis. O ser humano é preguiçoso e sempre busca atalhos, alguns deles podem ser fatais. A quimioterapia, por exemplo, é super desgastante, mas ir num charlatão e ele afirmar que vai te curar é melhor e mais fácil, não é?

Pois bem, sinto lhe informar que João de Deus, curandeiros e até os fundadores do ThetaHealing são charlatões e deveriam estar presos! Na Legislação brasileira pode-se usar legalmente de artifícios para se combater a pseudociência. A Lei 2848/40 deixa isso bem claro em três artigos:

Art. 275. Inculcar, em invólucro ou recipiente de produto alimentício ou medicinal, a existência de substância que não se encontra em seu conteúdo ou que nele existe em quantidade menor que a mencionada:
Pena — detenção, de um a três meses, ou multa.

Art. 283. Inculcar ou anunciar cura por meio secreto ou infalível:
Pena — detenção, de três meses a um ano, e multa.

Art. 284. Exercer o curandeirismo:
I — prescrevendo, ministrando ou aplicando, habitualmente, qualquer substância;
II — usando gestos, palavras ou qualquer outro meio;
III — fazendo diagnósticos.
Pena — detenção, de seis meses a dois anos.

Parágrafo único. Se o crime é praticado mediante remuneração, o agente fica também sujeito à multa.

É bem fácil identificar as pseudociências, todas seguem a mesma linha de raciocínio. Usam termos vagos e contraditórios; não apresentam publicações científicas válidas (são áreas extremamente desconhecidas); criticam o método científico; não têm critério de falseabilidade; acham que estão sendo sabotados pela grande indústria que não quer dar a “cura” à população; disfarçam coisas “mágicas” com termos científicos; evocam os “poderes” da física quântica; usam a inversão do ônus da prova; mencionam civilizações antigas que usavam o método, ou é tão novo que está sendo desenvolvido pela NASA, até mesmo algo que a ciência ainda não tem métodos para detectar sua eficiência.

Eles não têm problema nenhum em falar que não sabem como funciona, você que precisa apenas acreditar. Não é questão de acreditar, ciência não é religião, e apenas evidências devem ser relevadas. Se medicina alternativa funcionasse, ela se chamaria apenas medicina. Essas coisas fazem com que o esforço de grandes divulgadores científicos e defensores do ceticismo como o próprio Carl Sagan, Neil Degrasse Tyson, Penn e Teller, Stephen Hawking, Richard Dawkins e James Randi (pesquise por Randi e seu desafio de 1 milhão de dólares) se torne em vão.

E, por fim, a ciência não se ofende quando está errada, ela se auto corrige o tempo todo. Fale para um pseudocientista ou defensor de uma pseudociência que ele está errado, e você será massacrado e acusado de negador da fé. Parafraseando Átila Iamarino, “enquanto a ciência cresce sobre os ombros de gigantes, as pseudociências crescem sobre o bolso de desinformados”.

escrito por:

Estevao Noleto

Engineering student, geek, football lover, tech and science. Meus textos são apenas reflexões de uma época estranha.


JUNTE-SE À NOSSA NEWSLETTER
Junte-se a outros 2.000 visitantes que recebem nossa newsletter e garanta, semanalmente, artigos sobre ciência, filosofia, comportamento e sociedade diretamente em seu e-mail!
Nós odiamos spam. Seu e-mail não será vendido ou compartilhado com mais ninguém.