Ano Zero 2015 — empolgação e laços de amizade

Em Sobre o AZ por Victor LisboaComentário

Na semana pas­sada, a última semana de 2014 antes do iní­cio das fes­ti­vi­da­des de fim de ano, uma suces­são de even­tos con­fir­ma­ram que o pro­jeto Ano Zero está nos tri­lhos e pronto para fazer de 2015 um ano espe­cial, de con­so­li­da­ção e cres­ci­mento de suas aspi­ra­ções.

Para come­çar, no sábado de 13 de dezem­bro Nata­lia Mar­ques e eu visi­ta­mos a sede do Papo de Homem e par­ti­ci­pa­mos, junto com Pedro Bur­gos, Bia Amo­rim e Débora Cor­tela do encon­tro d’O Lugar sobre como cul­ti­var comu­ni­da­des digi­tais trans­for­ma­do­ras. Rece­bi­dos com muito cari­nho e aten­ção pelo Gui­lherme Vala­da­res, das 10h às 19h ouvi­mos com aten­ção o resul­tado de seus 8 anos de expe­ri­ên­cia na con­du­ção de pro­je­tos impor­tan­tes como o Papo de Homem, a Cabana e O Lugar.

O foco do encon­tro foi a cons­tru­ção cole­tiva de uma comu­ni­dade base­ada em redes soci­ais mas cen­trada em valo­res huma­nos real­mente trans­for­ma­do­res. Para o Ano Zero isso foi muito impor­tante, pois ficou mais do que claro que o pro­jeto não deve cami­nhar na dire­ção de ser um site com arti­gos publi­ca­dos peri­o­di­ca­mente, e sim uma genuína comu­ni­dade for­mada por laços de con­fi­ança e nutrida pela empol­ga­ção, pelo sen­ti­mento de pere­ci­mento de todos que se iden­ti­fi­cam com as mes­mas aspi­ra­ções de um futuro sus­ten­tá­vel, tole­rante e de cres­ci­mento mútuo a par­tir da da for­ma­ção de uma cons­ci­ên­cia cole­tiva da huma­ni­dade.

O pri­meiro resul­tado desse curso na ver­dade já tinha sido cri­ado pelo Alys­son Augusto dias antes: um grupo de auto­res e lei­to­res do Ano Zero no Face­book, para come­çar­mos a tro­car ideias sobre o pro­jeto e os tex­tos publi­ca­dos no site. De iní­cio, nas pri­mei­ras sema­nas, o grupo vai ser aberto ape­nas aos lei­to­res con­vi­da­dos pelos pri­mei­ros mem­bros. Mas logo logo nós vamos abrir para a par­ti­ci­pa­ção de todos que qui­se­rem!

Bem, ocorre que fui para São Paulo na sexta dia 12, e no ôni­bus que me leva­ria até o Aero­porto encon­trei a seguinte poe­sia:

poema

Ten­tei tirar essa foto várias vezes, pois o ôni­bus cha­co­a­lhava um bocado e a ima­gem ficava sem­pre tre­mida. Esse poema de José Nedel pode­ria muito bem ter sido escrito para expres­sar o cora­ção do pro­jeto Ano Zero — ou melhor, da comu­ni­dade Ano Zero.

Na segunda-feira, dia 15, rolou a con­fra­ter­ni­za­ção de fim de ano da turma do Ano Zero, uma reu­nião de gente mara­vi­lhosa e inte­li­gente. Papos des­con­traí­dos e muito calor humano sedi­men­ta­ram ainda mais essa noção de uma genuína comu­ni­dade. Como Dou­glas Donin disse no fim da festa, várias das con­ver­sas que rola­ram naquela noite pode­riam ter sido gra­va­das e con­ver­ti­das em pod­casts.

Da esquerda para a direita, autores do AZ: Fábio Pinto, Wagner Pacheco, Douglas Donin, Victor Lisboa, Josmael Corso e Mauricio Bohrer

Da esquerda para a direita, auto­res do AZ: Fábio Pinto, Wag­ner Pacheco, Dou­glas Donin, Vic­tor Lis­boa, Jos­mael Corso e Mau­ri­cio Boh­rer

Foi ideia de Fabio Pinto, durante a festa, fazer uma brin­ca­deira. Ele propôs 3 per­gun­tas para serem res­pon­di­das livre­mente e folhas de papel, sem iden­ti­fi­ca­ção, pela turma pre­sente: o que quero, o que não quero e o que me motiva em rela­ção ao Ano Zero em 2015? O resul­tado pode ser visto a seguir.

oquememove

oquequerooquenaoquero

Des­sas res­pos­tas a gente saca que o pes­soal quer ser apre­sen­tado em 2015 a visões desa­fi­a­do­ras, pen­sa­mento crí­tico e fór­mu­las sus­ten­tá­veis que pro­po­nham solu­ções e façam essas solu­ções real­mente acon­te­ce­rem. O que move a todos é a curi­o­si­dade, a pos­si­bi­li­dade de des­co­berta, a von­tade de conhe­cer a si pró­prio, de apren­der a viver cole­ti­va­mente e com o sen­ti­mento de que se par­ti­cipa de algo maior que sua indi­vi­du­a­li­dade. E tam­bém, claro, car­boi­dra­tos — por­que a gente tam­bém pre­cisa de car­boi­dra­tos para se mover.

Mas é tam­bém muito impor­tante saber o que não que­re­mos, e nisso o pes­soal foi cer­teiro. Infor­ma­ções redun­dan­tes, res­pos­tas pron­tas, rótu­los des­car­tá­veis, como­dismo e falta de senso crí­tico: tudo isso tem que ficar bem longe do Ano Zero. Para man­ter esse com­pro­misso ao longo de 2015 pre­ci­sa­mos da par­ti­ci­pa­ção e da ener­gia de todos os mem­bros do Ano Zero, e tam­bém da con­tí­nua cobrança dos lei­to­res.

Ainda na mesma semana, Fabio Pinto me pre­sen­teou com pri­meira cami­seta do Ano Zero, um gesto de cari­nho com todo o pro­jeto. Em breve, mais des­sas cami­se­tas esta­rão por aí, cir­cu­lando pelas ruas do país!

camisetaAZ

E na sexta-feira chega na sede de Ano Zero um lindo car­tão de Natal feito por alguém que tem essa data de amor e con­fra­ter­ni­za­ção no nome: Nata­lia Mar­ques res­ga­tou a arte dos car­tões de natal arte­sa­nais e escre­veu uma como­vente men­sa­gem sobre o futuro do AZ, cheia de amor e ins­pi­ra­ção:

cartaocapa

cartaomensagem

A che­gada desse car­tão coin­ci­diu em alguns minu­tos com o “ok” do Jader Pires, meu edi­tor do Papo de Homem, para a publi­ca­ção no PdH de uma série de arti­gos dos auto­res do AZ pro­pondo um 2015 real­mente trans­for­ma­dor para todos nós e nossa soci­e­dade. Melhor pre­sente de Natal impos­sí­vel.

Mas ainda fal­tava sábado para ter­mi­nar a semana, né? Bem, uma coisa muito maluca acon­tece quando o pes­soal do Ano Zero começa a con­ver­sar, mesmo que casu­al­mente: pla­nos, pro­je­tos e ideias incrí­veis sur­gem desse papos. E foi de uma con­versa minha com Mau­ri­cio Boh­rer que tive­mos uma sacada bem inte­res­sante sobre o que deve ser o Tempo de Fazer do Ano Zero, ou seja, sobre como levar para fora da inter­net nos­sas aspi­ra­ções por um mundo melhor e mais soli­dá­rio, de modo que não fique­mos ape­nas na teo­ria e pas­se­mos a fazer real­mente alguma dife­rença. De ime­di­ato con­vo­ca­mos uma turma de ano­ze­ren­ses e a ideia encon­trou o enga­ja­mento de toda a turma.

E do que se trata? Bem, essa ideia, que sur­giu no sábado pas­sado, fechando o pri­meiro ciclo vir­tu­oso daquilo que pro­mete ser um 2015 de muito tra­ba­lho e amor para o Ano Zero, vai mere­cer uma aten­ção espe­cial no iní­cio do ano novo. Por hora, fica a expec­ta­tiva e um pouco de sus­pense. Mas uma coisa garanto: essa ideia empol­gante é um dos mar­cos do AZ em 2015, e temos outros em mente para tor­nar nossa comu­ni­dade uma ver­da­deira forma de cola­bo­rar com a evo­lu­ção humana. Nisso, não somos modes­tos.

Um último recado: Ano Zero entra em recesso a par­tir de ama­nhã, e volta em 2015 com força total na segunda-feira do dia 05 de janeiro! Aos lei­to­res que nos acom­pa­nha­ram até hoje, agra­de­ce­mos de cora­ção a pre­sença, e repe­ti­mos o que a Nata­lia disse no seu car­tão: fica­mos feli­zes de com­par­ti­lhar esse sonho junto com você. =] 

Victor Lisboa
Editor do site Ano Zero.

Compartilhe