A  mansão “Jackling”, construída em 1925 a mando do magnata do cobre Daniel Jackling (1869-1956), foi desenhada pelo famoso arquiteto George Washington Smith (1876-1930), em um estilo colonial espanhol. Jobs a comprou em 1984.

  • Daniel Jackling foi um engenheiro metalúrgico que revolucionou a mineração de cobre na área de Utah, em 1903;
  • George Washington Smith foi um dos arquitetos mais famosos dos Estados Unidos, considerado pai da arquitetura colonial espanhola no país.
Mansão abandonada do Steve Jobs, vista externa, céu lilás e gramas verdes.
Foto: ©Jonathan Haeber
Órgão decorativo de Steve Jobs
Foto: ©Jonathan Haeber

Com “apenas” 1.600 m² e 14 suítes, essa mansão não foi suficiente para satisfazer Steve, e apesar de ter custado uma fortuna, ele a odiava. Jogou todos os móveis e itens de decoração fora, ficando apenas com um piano (órgão) que não tocava, mas apreciava seu design. Além de ter um quadro de Einstein na parede. Sem mobília, ele dormia em um colchão, já que nunca achou uma suficiente boa que o agradasse.

Após a compra em 1984, Steve viveu nela por boa parte dos anos 90, deixando-a alugada até o ano 2000.  Abandonando-a depois, ela se deteriorou e ficou caindo aos pedaços, literalmente.

A demolição da mansão

Em 2004, Steve Jobs deu início ao seu plano de demolição da casa, com a permissão da prefeitura concedida. A permissão foi concedida, e estava tudo ok para começar a demolição, mas os moradores locais não queriam que a mansão fosse demolida, pois carregava um valor histórico para a cidade.

Unidos, os moradores criaram um grupo chamado “Upholding Our Heritage” e iniciaram uma batalha judicial contra Jobs, alegando na côrte que ele não poderia demolir pois destruiria um monumento histórico para a cidade.

Steve alegou que o valor de uma reforma da mansão ficaria muito caro – $ 13.3 milhões contra $ 5 milhões se optasse por demolir e construir uma nova. Mas, apesar das perdas e ganhos nos tribunais, venceu o processo em 2010. Infelizmente (ou felizmente), a mansão só foi demolida em fevereiro de 2011, meses antes de Jobs morrer pelo câncer pancreático.

Em 2007, o fotógrafo Jonathan Haeber achou a mansão aberta e resolveu captar uma série de fotos, preservando um dos últimos resquícios históricos locais de Woodside.

Mansão histórica do Steve Jobs vista de noite, vista de uma janela brilhante ao lado da sacada
Foto: ©Jonathan Haeber

Mansão histórica do Steve Jobs vista de noite, laterais, com árvores ao fundo
Foto: ©Jonathan Haeber
Mansão histórica do Steve Jobs vista de noite, visão da sacada e o céu estrelado
Foto: ©Jonathan Haeber
Sala de estar; com lustre utilizando lampadas tortas, com a lareira abaixo e a parede branca, com vigas de madeira no teto
Foto: ©Jonathan Haeber
Lustre com lampadas tortas na mansão abandonada, vista de baixo para cima.
Foto: ©Jonathan Haeber

Escadarias da mansão abandonada, com lustre no teto, visto de baixo para cima.
Foto: ©Jonathan Haeber
Vista lateral do lustre pelas escadarias da mansão abandonada
Foto: ©Jonathan Haeber
Uma escadaria preta, com teto embolorado e geladeiras.
Foto: ©Jonathan Haeber
Parede com detalhes, objetos de decoração no chão e uma lampada a esquerda.
Foto: ©Jonathan Haeber

Escadaria da mansão abandonada, paredes com bolor.
Foto: ©Jonathan Haeber
Portas com pé direito alto.
Foto: ©Jonathan Haeber

Bônus:

Steve Jobs e Bill Gates conversando na mansão.
Steve Jobs e Bill Gates conversando na mansão.
Mansão do Steve Jobs sendo demolida.
Foto: ©Greg Moretti

Vista aérea da mansão demolida do Steve Jobs, foto tirada de helicóptero.
Foto: ©Gizmodo
Foto antes: Casa / Mansão do Steve Jobs antes da demolição | Depois: Casa do Steve após a demolição
Foto: ©Gizmodo

O museu da cidade, Woodside History Museum, faz algumas exposições com as fotos, móveis e outras coisas que outrora eram da mansão, além de contar mais da história de Daniel Jackling, o magnata do cobre e mineração. É interessante dar uma olhada no site para ver se ainda estão expondo, caso você vá viajar para lá e queira fazer um turismo.

Fotos: ©Jonathan Haeber
Fotos aéreas da demolição: ©Gizmodo


Seja patrono do AZ para mais artigos como este.
CLIQUE AQUI e escolha sua recompensa.


Newsletter AZ | sabedoria budista


Você pode querer ver também:

A arte de Gregory Crewdson
Ecce Homo – A arte de Evelyn Bencicova

escrito por:

Jean F.

Entusiasta de empreendedorismo, marketing digital/SEO/fitness sem bullshit/cultura pop, viagens, arte e filosofia. Se deixar, a lista de coisas ficará mais longa que o sobrenome do Dom Pedro I.